Com o jejum intermitente, as células do corpo tornam-se mais resistentes ao stress e mais capazes de suportar doenças. A reação do corpo ao jejum é semelhante à sua reação ao desporto – através de “treino” frequente, torna-se mais resistente a doenças. A autofagia também é estimulada pela remoção de proteínas disfuncionais da célula. (Ligação 1, Ligação 2)
O especialista afirma que uma das vantagens do jejum é que a queima de gordura ocorre sem a perda da massa muscular, também conhecida como massa magra. “A massa é mantida porque o jejum eleva o hormônio do crescimento e isso previne qualquer queima de músculo”, diz ele. Polesso explica que o músculo é um tecido metabolicamente ativo, ou seja, ele consome energia e caloria somente por existir. “Perder massa muscular não é adequado para o processo de emagrecimento.”
Uma teoria sobre isso, de acordo com o diretor do Laboratório de Neurociências do Instituto Nacional do Envelhecimento, Mark Mattson, é que o estresse brando que o jejum intermitente coloca no corpo, proporciona uma ameaça constante – aumentando as poderosas defesas celulares do corpo contra potenciais danos moleculares. O jejum intermitente também estimula o corpo a manter e reparar tecidos e tem benefícios antienvelhecimento, mantendo todos os órgãos e células funcionando de forma eficaz.

Uma das maiores tendências do momento é o Jejum Intermitente (IF), um padrão alimentar em que a ingestão de alimentos fica circunscrita a um período de tempo definido e relativamente curto no dia. Não se trata de uma dieta em sentido estrito pois nada nos diz sobre que alimentos ingerir, mas apenas quando os ingerir ou não. Na verdade, o Jejum Intermitente “cabe” em qualquer dieta, e é comum dentro dos modelos Low-Carb e Paleo. E como qualquer tendência dos tempos, várias celebridades aderiram e impulsionaram o Jejum Intermitente, embora muito se debata ainda entre a comunidade científica se de facto nos traz alguma vantagem comparativamente aos padrões alimentares convencionais, ou se será apenas mais uma moda. Vantagens essas que passam pela alegada perda de peso, melhoria de parâmetros cardiometabólicos e inflamatórios, e até longevidade. Mas o que nos diz a ciência realmente sobre o IF?
Outra consequência do jejum intermitente é que o metabolismo basal também não desacelera, como muitos pensam. “O metabolismo basal gasta a quantidade de calorias no dia que uma pessoa precisa para manter o mesmo peso. As pessoas acham que não comer vai desacelerar o metabolismo, ou seja, você vai queimar menos calorias. Mas um estudo mostrou que ele continua acelerado até em jejuns bastante longos.”
A secreção do hormônio do crescimento (GH), um dos principais hormônios queimadores de gordura, aumenta durante um jejum. Num protocolo de jejum de cinco dias, homens experienciaram secreção aumentada de GH nos dias 1 e 5 (os únicos dois dias nos quais o GH foi medido). Um estudo posterior mostrou que durante sessões de jejum de 2 dias, a secreção de hormônio do crescimento aumentaram tanto em frequência quanto em intensidade, em homens. Eles experienciaram disparos de GH mais frequentes, e cada disparo secretava uma massa maior do hormônio. Um estudo mais recente mostrou que jejuns de 24h aumentavam o GH em 1300% em mulheres, e em quase 2000% em homens.
Gorduras puras como manteiga e óleo de coco podem ser adicionadas ao café, pela manhã, para ajudar na sensação de saciedade durante o jejum. "Mas não pode exagerar caso o objetivo seja perder peso”, alerta o especialista. "O paciente não deve tomar óleo de coco e manteiga em excesso porque o corpo irá queimar essa gordura antes de queimar a do próprio corpo. Tudo tem que ser ponderado. O ideal mesmo é beber o líquido puro."
Quando o assunto é emagrecimento, existem muitos modismos, remédios, suplementos milagrosos e por aí vai. Todos eles fazem grandes promessas, porém, às vezes apresentam poucos resultados, além dos efeitos colaterais e riscos para a saúde. Outra opção é inserir chás para acelerar o metabolismo na sua dieta, que além de ser uma alternativa mais saudável e natural, pode trazer resultados seguros e eficazes.
Outro benefício proporcionado pelo jejum é a autofagia - a reciclagem das células mortas -, tema que garantiu o prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia ao cientista Yoshinori Ohsumi em 2016. O pesquisador japonês estudou o processo de reciclagem das células quando a pessoa está em jejum. “Pode-se dizer que é uma espécie de ‘limpeza’ para se certificar de que o corpo está funcionando bem”, afirma Polesso.

"No ponto de vista médico, dependendo do perfil do paciente (se ele estiver acima do peso, tem um estilo de vida em que consegue ficar sem comer e é mais sedentário, ou seja, não precisa de energia para praticar atividade física) propor jejum de 12 a 14 horas não é tão difícil e não vejo problemas, salvo as exceções que já foram citadas. Só é importante ver o perfil físico e psicológico do paciente e ter critério durante as janelas de alimentação", nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).


A secreção do hormônio do crescimento (GH), um dos principais hormônios queimadores de gordura, aumenta durante um jejum. Num protocolo de jejum de cinco dias, homens experienciaram secreção aumentada de GH nos dias 1 e 5 (os únicos dois dias nos quais o GH foi medido). Um estudo posterior mostrou que durante sessões de jejum de 2 dias, a secreção de hormônio do crescimento aumentaram tanto em frequência quanto em intensidade, em homens. Eles experienciaram disparos de GH mais frequentes, e cada disparo secretava uma massa maior do hormônio. Um estudo mais recente mostrou que jejuns de 24h aumentavam o GH em 1300% em mulheres, e em quase 2000% em homens.
É rico em fibras, nutriente que ajuda no funcionamento do intestino e reduz a absorção de gordura e carboidratos. Isso acontece porque as fibras são digeridas mais lentamente, inibindo a produção de insulina. E quanto maior for o pico de insulina, mais facilmente a gordura será absorvida e acumulada, as fibras também aumentam a sensação de saciedade, fazendo a pessoa comer menos.
Não é difícil obter variações você precisa de uma dieta vegana, mas o melhor é aquele que fornece a abundância de proteínas, gorduras e hidratos de carbono. Tendo isso em mente para suas refeições diárias irá contribuir muito para o sucesso da sua dieta vegetariana plano de perda de peso. Vamos aprofundar mais sobre por que eles são tão importantes.
Huang descobriu que os participantes que passaram sem carne foram os melhores em se livrar dos quilinhos extras. Os vegetarianos perderam mais peso em comparação com os carnívoros (cerca de 2kg), e os veganos perderam ainda mais (cerca de 2,5kg). Vegetarianos que consumiam laticínios e ovos perderam cerca de 1,48 kg a mais do que aqueles em uma dieta não vegetariana.
Em termos de sua overallhealth, a inflamação é themain gatilho de muitas doenças, tais níveis de energia aslow, má assimilação dos nutrientes, má digestão, doenças cardíacas, câncer, problemas de estômago, dor nas articulações e problemas de coração. Não só alimentos de origem vegetal contribuem para a inflamação, mas eles também podem ajudar a reduzir a inflamação insideour corpo. As plantas são tanto uma prevenção e uma usefultreatment por esta razão especial.
Há um fato que os alimentos vegetais são super alimentos para a beleza! A variedade de frutas, legumes e alimentos vegetais ricos em antioxidantes, incluindo grão de bico, bagas couve, espinafre, abacate, sementes de cânhamo, sementes de chia, óleo de coco, flaxseedsare bater-embalados com anti-envelhecimento nutrientes naturalmente. Você não precisa mesmo de comprar cremes ou produtos de beleza se você é um verdadeiro vegetarianos. Sua despesa para o cosmético irá para baixo e para baixo e assim que as rugas em seu rosto! Enquanto comem plantas não é apenas sobre sua aparência, alimentos vegetarianos também são alimentos de beleza natural.
- O gasto calórico de repouso, o metabolismo basal, isto é, o que queimamos sem fazer nada, varia de acordo com genética, idade, peso e massa muscular. Porém a digestão do vegetariano costuma ser acelerada porque ele ingere menos gorduras e mais fibras, e segue uma dieta fracionada, comendo poucas porções em intervalos menores no dia. E come alimentos de alta densidade nutricional e baixas calorias.

Os mecanismos que fazem o chá branco ter ação termogênica são os mesmos dos chás preto e verde. Com a diferença de que a termogênese no chá branco é menor porque entre os três chás ele é o que possui menor quantidade de cafeína. Ao invés disso, o chá branco conta com alta concentração de antioxidantes. Por isso, o chá branco ajuda a prevenir o câncer, protege o cérebro e a visão.
×