O jejum pode ser indicado inclusive para pessoas com resistência à insulina que queiram controlar o quadro. No entanto, isso deve ser feito com o acompanhamento de um endocrinologista, pois nem todas as pessoas respondem bem a períodos prolongados de jejum. Além disso, se você toma algum remédio para a resistência à insulina, pode ter hipoglicemia se ficar muito tempo sem se alimentar, o que pode levar a fraqueza, desmaios e outros problemas.
"Os resultados que temos visto neste estudo são semelhantes aos observados em outros estudos sobre o jejum intermitente - explica Kristina Varady, a autora do estudo - mas um dos benefícios da dieta 16:8 poderia ser uma maior facilidade de execução em médio-longo prazo. Observamos que menos participantes deixaram este estudo em comparação a outros em outras dietas".

Querendo emagrecer sem fazer dietas da moda nem exercícios? Claro que existem opções para perder peso como alimentação balanceada, esportes. Mas pode se optar por medicamentos como remédio para emagrecer como a sibutramina, orlistat, liraglutida, anfepramona e outros que ajudam no emagrecimento e inibidor de apetite. Mas cuidado com efeitos colaterais e comprar somente com bula e receita médica ou nutricionista na area da saúde.


À primeira vista pode parecer uma bizarrice, mas o método seguido pelo gaúcho radicado no Rio é um protocolo formal adotado em tratamentos contra a obesidade e atende pelo nome de jejum intermitente. E, claro, é cuidadosamente aplicado por profissionais capacitados. Trata-se, basicamente, de cortar, por um período predeterminado e acompanhado de forma criteriosa por especialistas, os alimentos sólidos, sem deixar de beber água e líquidos não calóricos, como chás e cafés — sem açúcar, claro. Na prática, seus seguidores pulam as refeições e, em vez das três habituais, fazem duas ou apenas uma ao dia. O resultado vem na forma de uma perda de peso significativa, consistente e em um espaço de tempo relativamente curto. “O jejum induz o corpo a usar o seu próprio estoque de gordura como fonte de energia rápida, acelerando o emagrecimento. Isso é sabido há muito tempo. O que ninguém conhecia em detalhes era como se dava esse processo, porque cada paciente reage de uma maneira diferente à abordagem”, explica o clínico geral e mestre em endocrinologia Fabiano Serfaty. “Daí a necessi­dade de acompanhamento médico para saber se você pode adotá-lo como mais uma ferramenta — e não a única — na luta contra a obesidade.”

Para perder o excesso de gordura corporal, é necessário fazer mudanças na alimentação, nos exercícios e no estilo de vida. Além disso, é preciso garantir que os exercícios e a dieta nova sejam capazes de manter a massa magra enquanto se perde peso. Pode ser difícil perder peso ou gordura corporal rapidamente. Não há milagres ou dietas mágicas que ajudem nessa tarefa. O melhor método de emagrecimento é lento e gradual e toma um período de tempo extenso. Ao adotar uma alimentação e uma rotina de exercícios corretas, é possível perder peso, diminuindo a gordura corporal e aumentando a massa magra.


É rico em fibras, nutriente que ajuda no funcionamento do intestino e reduz a absorção de gordura e carboidratos. Isso acontece porque as fibras são digeridas mais lentamente, inibindo a produção de insulina. E quanto maior for o pico de insulina, mais facilmente a gordura será absorvida e acumulada, as fibras também aumentam a sensação de saciedade, fazendo a pessoa comer menos.
Ao investir em uma dieta vegetariana tradicional, você automaticamente vai passar a ingerir alimentos naturais, que são ricos em nutrientes importantes, como vitaminas e fibras, mas extremamente pobres em calorias, o que vai implicar no emagrecimento. Fazendo essa dieta de forma controlada, você irá começar a perder peso de forma rápida e constante, desde que tenha muita disciplina e não caia nas tentações.
Eu gosto dessa frase. É fazer uma limonada (não-calórica) com os limões que a vida te dá, e de todos pensamentos transcedentais contidos no livro do Hesse, essa linha me chama atenção como uma maneira bacana, sem nonsense, de tirar o melhor de uma situação ruim. Sem dúvidas sobre isso. Mas quão útil ela é, realmente, para os leitores de hoje ? Muito poucos de nós jamais passaram por uma situação de "não ter o que comer". Ao contrário, a comida está sempre à mão, com pouco esforço necessário para obtê-la. Na prática, isso não é completamente verdade. Lixo processado e fast food estão sempre disponíveis, enquanto as coisas boas - carnes frescas e verduras, comida de verdade, você sabe - requerem preparo, cozimento, tempo, e lavar pratos. Mas o ponto principal continua valendo: nós raramente ficamos sem.

O estresse oxidativo é causado por um desequilíbrio na produção do organismo de oxigênio reativo e suas defesas antioxidantes e pode levar a doenças crônicas e câncer. As moléculas instáveis, conhecidas como radicais livres, podem reagir com moléculas importantes como DNA e proteínas – danificando essas moléculas e criando um desequilíbrio. A redução de peso, provocada pelo jejum intermitente regular, pode levar a uma redução no nível de estresse oxidativo do corpo, ajudando a prevenir o desenvolvimento desses males.
O objetivo inicial do estudo era avaliar como o jejum intermitente pode alterar a capacidade de metabolização de gordura e açúcares do organismo. Mas os resultados mostraram que em 59 dias, o grupo que seguiu o jejum intermitente perdeu pelo menos 5% do peso e diminuiu em 9% os índices da pressão arterial. Já os voluntários que cumpriram a dieta com menos calorias diárias precisaram de 73 dias para perder a mesma quantidade de peso e diminuíram a pressão arterial em apenas 2% no final de todo o processo.

Um estudo conduzido pela Society for Neuroscience, em 2015, revelou que o jejum intermitente oferece “enormes implicações para a saúde do cérebro”. Segundo o estudo, que foi realizado tanto em seres humanos quanto em animais, a prática estimula o cérebro de várias maneiras diferentes: promove o crescimento de neurônios, ajuda na recuperação após um acidente vascular cerebral, ou qualquer outra lesão cerebral, e melhora o desempenho da memória. Não só o jejum intermitente ajuda a diminuir o risco de um praticante de desenvolver doenças neurodegenerativas como Parkinson ou Alzheimer, mas também há evidências que demonstram que pode até mesmo melhorar tanto a função cognitiva como a qualidade de vida das pessoas que vivem nessas condições.
Como se depreende, consiste em não ingerir nenhuma espécie de alimento. Contudo, bebe-se água à vontade, utilizam-se vitaminas e sais minerais. Esta dieta é cada vez menos utilizada, pois requer hospitalização e contínua vigilância médica. Além disso, os exíguos resultados k longo prazo não justificam o enorme sacrifício e desgaste do doente, especialmente porque quando se suspende o jejum absoluto é costume ganhar peso com rapidez.
Esse pormenor garante-lhes uma concentração de antioxidantes e substâncias termogénicas cerca de 40% maior do que a do chá verde. A sua preparação não difere, contudo, da deste chá. Basta colocar a água a ferver e, antes de surgirem as primeiras bolhas, acrescente a erva, usando duas colheres de sopa rasas para um litro de água ou duas colheres de chá rasas para uma chávena de água). Abafe por cinco minutos e coe.

Este chá para além de ajudar no emagrecimento, ajuda na desintoxicação do organismo! Ele acelera o metabolismo e colabora na digestão de gorduras. Óptimo para quando fazem uma refeição mais pesada! As folhas de alcachofra são o ingrediente perfeito para limpar essas gorduras. Basta ferver 1l de água e com o fogo já apagado, acrescentem 1 xícara de folhas de alcachofra. Depois deixem descansar por dez minutos. Coem e bebam até três xícaras deste chá por dia.

×