Para Geloneze, da Unicamp, esses possíveis ganhos não são patrimônio exclusivo do jejum. “Qualquer processo baseado na restrição de calorias culmina na mobilização de reservas. E o único nutriente que temos estocado em grande quantidade é a gordura”, ensina. “Além disso, emagrecer significa elevar as taxas do colesterol bom, o HDL, e diminuir inflamação, pressão, glicemia e triglicérides. Portanto, atribuir tudo ao jejum é uma distorção da realidade”, defende. Trocando em miúdos, os benefícios viriam na rabeira da perda de peso – independentemente de como ela ocorra.
Este chá para além de ajudar no emagrecimento, ajuda na desintoxicação do organismo! Ele acelera o metabolismo e colabora na digestão de gorduras. Óptimo para quando fazem uma refeição mais pesada! As folhas de alcachofra são o ingrediente perfeito para limpar essas gorduras. Basta ferver 1l de água e com o fogo já apagado, acrescentem 1 xícara de folhas de alcachofra. Depois deixem descansar por dez minutos. Coem e bebam até três xícaras deste chá por dia.
Primeiramente nunca corte totalmente os carboidratos de sua dieta! Por quê? Eles desempenham funções primordiais no seu corpo: fundamentais para sistema nervoso central, função estrutural das células e membrana plasmática, regulam o metabolismo proteico e são utilizados como fonte de energia primária. Continue a leitura e veja como utilizar os carboidratos de forma inteligente para eliminar gordura.
O exercício, em um jejum, pode ser complicado, mas há alguns benefícios poderosos a serem obtidos combinando os dois – especialmente quando você pode obter um treino pesado no final de seu período de “não comer”. Alguns estudos relataram que, após três semanas de jejum normal pela noite, ciclistas de resistência observaram uma recuperação mais rápida pós-treino – sem diminuição no desempenho. Mesmo que este único estudo não seja inteiramente conclusivo, o poder de cura do jejum e as melhorias ao seu sono e hábitos alimentares, definitivamente, ajudam o corpo a se recuperar de um treino, por mais intenso que seja.
É muito fácil preparar o chá verde, mas há alguns segredinhos importantes para você preservar os princípios ativos da erva. Vamos lá: coloque a água para ferver e assim que surgirem as primeiras bolhas de ar (antes de começar para valer o processo de ebulição), apague o fogo. Acrescente a erva (o ideal são 2 colheres de sopa para 1 litro de água, mas comece com apenas 1 colher, pelo menos até você se acostumar com o sabor do chá) e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar.
O regime contempla dois dias não consecutivos por semana em que se consome um quarto das calorias habituais (500 kcal para as mulheres e 600 kcal para os homens no máximo). E uma adaptação dos padrões de jejum periódico, cuja eficácia o autor diz estar demonstrada e em que não e permitido comer durante 24 horas ou em que, dia sim, dia não, se ingere uma única refeição com poucas calorias.
Com sua dieta em mãos, os exercícios cardiovasculares podem acelerar a queima de gordura, utilizando-se das calorias extras. No entanto, se você se empolgar muito com eles podem prejudicar o seu progresso. Excesso de atividade cardio pode auxiliar em uma perca muscular grande. Além disso, a atividade vai fazer você se sentir mais esgotado e cansado!
Você precisa de gordura boa. Algumas pessoas acreditam que uma dieta com pouca ou nenhuma gordura é automaticamente boa. Isso é verdade para pouca gordura, mas apenas se a dieta for feita da maneira certa (sim, você pode ir pelo caminho errado). Escolha as gorduras boas. O tipo bom (insaturadas; ômega 3 e 6) pode levar à queima de gordura, acelerando o metabolismo.

Este mito decorre da constatação de que quando há restrição calórica diária há uma redução da taxa metabolica basal (TMB), e pelo contrário a sobre-alimentação leva ao seu aumento. Só que nada disso acontece no jejum. Pelo contrário, a TMB aumenta, o que faz sentido do ponto de vista de sobrevivência. Passamos a usar a gordura que fomos armazenando, e dispomos assim de altos níveis de energia que nos permitem procurar mais alimento.7

Além disso, conforme estudos anteriores, dietas vegetarianas e veganas com baixo teor de gordura promovem um maior controle glicêmico e reduzem fatores de risco cardiovascular. “O vegetarianismo já provou ser mais efetivo para a perda de peso. Agora, mostramos que a dieta vegetariana pode ser muito mais efeito na redução de gordura muscular, promovendo melhora no metabolismo“, disse Hana Kahleová, diretora de pesquisa da organização sem fins lucrativos Physicians Committee for Responsible Medicine, nos Estados Unidos, ao site especializado Medical News Today.
Tenho apenas 13 anos e sou vegetariana por escolha própria, não conheço ninguém assim mais resolvi adiquirir a dieta pelo motivo principal de não querer colocar um animal morto no meu prato e nem colocá-lo na boca, devemos comer vida e não fazer do nosso corpo um necrotério, meus pais não aceitaram por acharem que uma dieta sem carne é prejudicial a saúde, mais na verdade é mais saudável, me sinto bem melhor em comer coisas que eu sei que vão me fazer bem mesmo eu muitas vezes nem gostando tando do sabor. Além disso eu tinha muitos problemas no estomago, mais eram piscicológicos, hoje melhoraram muito.

É preciso hidratar o organismo, então fique de olho na quantidade de água e beba, no mínimo, dois litros do líquido. Outras bebidas sem calorias, como café, chás e chimarrão estão liberadas. Os refrigerantes zero entram nessa seleção por não terem calorias, mas Marques lembra que o adoçante pode levar à secreção de insulina, o que poderia prejudicar o estado metabólico do jejum. 
Energia gasta com o efeito térmico dos alimentos: Apesar de ser o menor gasto energético diário, pode ser utilizado como uma boa estratégia por quem quer reduzir gordura corporal. Esse gasto refere-se ao processo de digestão e absorção dos nutrientes, principalmente. É por esse motivo que chamamos alguns alimentos de termogênicos. – aqueles que demandam mais energia para sua digestão e absorção, além de elevar a temperatura corporal.
Outras substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. Ainda não acabou: “O hibisco tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes”, afirma a bióloga Lúcia Helena Guerra Arantes, de Belo Horizonte.
— O gasto calórico de repouso, o metabolismo basal, isto é, o que queimamos sem fazer nada, varia de acordo com genética, idade, peso e massa muscular. Porém a digestão do vegetariano costuma ser acelerada porque ele ingere menos gorduras e mais fibras, e segue uma dieta fracionada, comendo poucas porções em intervalos menores no dia. E come alimentos de alta densidade nutricional e baixas calorias.
Dia 2– Café da manhã: 1 copo (300 ml) de suco de pera, morango e laranja; 1 fatia de pão integral; 1 col. (sopa) de ricota; 1 xíc. de chá de melissa. Lanche: ½ papaia. Almoço: 1 porção de salada de pepino, maçã e alface; 1 porção de funcho e abacaxi ao molho de cúrcuma; 1 porção de bolo de panquecas com espinafre. Lanche: 1 pêssego. Jantar: 1 porção de sopa de brócolis; ½ porção de assado de aipim. Fonte.
Energia gasta com o efeito térmico dos alimentos: Apesar de ser o menor gasto energético diário, pode ser utilizado como uma boa estratégia por quem quer reduzir gordura corporal. Esse gasto refere-se ao processo de digestão e absorção dos nutrientes, principalmente. É por esse motivo que chamamos alguns alimentos de termogênicos. – aqueles que demandam mais energia para sua digestão e absorção, além de elevar a temperatura corporal.

O que dá esse poder ao hibisco? Sobretudo a alta concentração de antocianina – pigmento da família dos flavonoides -, que tem ação antioxidante (tira boa parte dos radicais livres de cena) e anti-inflamatória (combate a inflamação das células, permitindo que elas voltem a exercer totalmente suas funções). Resultado: “O organismo deixa de acumular toxinas – substâncias inimigas que dificultam o emagrecimento”, explica Lucyanna Kalluf, nutricionista funcional especializada em fitoterapia do Instituto Alpha de Saúde Integral, em São Paulo.
“Durante a dieta, eu tomava o chá verde Dr. Dukan todos os dias. Não tinha um horário específico, mas gostava de tomar pois sentia os efeitos estimulantes e termogênicos da pimenta caiena. Gostei tanto que continuo tomando o chá mesmo depois de ter terminado a Dieta Dukan. Sinto uma disposição maior quando tomo o chá, isso às vezes me ajuda a fazer as atividades físicas do dia”, relata Adriana.
×