Para ganhar massa muscular, o ideal é fazer exercícios de força, como musculação e crossfit, pois essas atividades forçam o músculo a pegar mais peso, o que é o principal estímulo para fazê-lo crescer. É importante lembrar que o treino deve estimular mais a capacidade do músculo, com aumento progressivo da carga e acompanhamento de um profissional educador físico.
Mas os potenciais benefícios que os estudos em animais sugerem vão além da perda de peso e composição corporal – estimulação de factores neurotróficos e neuroplasticidade, redução da inflamação, menor stress oxidativo, maior sensibilidade à insulina, redução da pressão arterial, longevidade, entre outros. A redução da inflamação poderá estar associada ao aumento do cortisol que se verifica em restrição calórica e privação alimentar, com a redução dos níveis de leptina e aumento da adiponectina. A maior actividade da AMPK em restrição energética pode também explicar grande parte dos potenciais benefícios do jejum, incluindo a autofagia, renovação celular, o aumento da capacidade antioxidante, e sensibilidade à insulina. Mas mais uma vez podemos constatar que não se tratam de benefícios do jejum por si, mas sim da restrição energética. Tal como o aumento da longevidade, pela redução do consumo de oxigénio e metabolismo, com menor formação de radicais livres e agressão celular.

Basta substituir os pratos de carne com produtos de soja, lentilhas e cereais integrais. Você pode obter proteína suficiente (especialmente se você também consumir nozes e produtos lácteos), através tal dieta. Vale a pena dar uma chance, desde que você tenha um pouco de força de vontade e estão preparados para cumpri-la. Afinal, nada vem fácil na vida (bem, não pelo menos para mim!).


O jejum intermitente é o último segredo para fazer com que sua máquina elimine excessos. Mas o especialista alerta que é necessário que isso seja feito com cuidado. “A prática de jejum intermitente pode ser poderosa, mas a prioridade precisa ser nos outros passos anteriores. Só depois de aplicar a alimentação correta é que o jejum pode ser feito de forma gradual e correta”, comenta Polesso, destacando que esse processo possibilida que o corpo acesse as gorduras extras como forma de energia, ajustando as engrenagens do metabolismo e permitindo que ele funcione corretamente.
Meio Ambiente: Sua temperatura corporal é estritamente regulada pelo hipotálamo em seu cérebro. Este termostato interno recebe sinais de receptores ao redor do seu corpo que detectam a temperatura. Quando a temperatura do seu corpo começa a diminuir, por exemplo, em resposta a temperaturas frias, o hipotálamo envia um sinal para os músculos se contraírem. Essas contrações musculares, ou tremores, ajudam a produzir calor e aquecer seu corpo. Assim, expor-se a um clima frio pode impulsionar o seu metabolismo através da termogênese.
AdoçantesAçúcarCaloriasCancroCasos ClínicosCereaisCortisolDiabetesDistúrbios alimentaresDocumentáriosDoenças cardiovascularesEnvelhecimentoExercícioGenéticaGlútenHormona do crescimentoInfográficosInteresse geralLow-carbMitosNutrição e dietaObesidade InfantilOff-topicOvertrainingOvosPaleoPeso pesadoReflexõesSeminários e eventosSet-pointSonoStressSugestões de leituraSuplementosTestosteronaTiróideUncategorizedUnicórnios da NutriçãoWheyÓmega-3
Obviamente, perder peso não é um passeio. Os médicos costumam dar à perda forçada de gordura corporal o nome de distúrbio eletrolítico. Quem já fez regime sabe que em um primeiro momento, além da fome abissal e do humor azedo, fazem parte do processo espasmos musculares, distúrbios intestinais, tontura, cãibras e outros efeitos desagradáveis. Com o tempo, entretanto, o organismo se acostuma às novas condições e passa a funcionar melhor — ou seja, paciência e disciplina são fundamentais. Em tratamento há quase um ano, a estudante de odontologia Isabela Miranda, 25, aderiu ao jejum nos últimos três meses. “Eu me dei conta de que muitas vezes comia apenas por hábito, não por necessidade”, diz ela, que passou de 76 para 47 quilos.

Alguém ou alguém (que significa você) tem que fazer o trabalho! Você quer perder gordura corporal, é por isso que está aqui. Assim, seu corpo precisa engajar princípios profissionais exigidos, comprovados por tempo, que se provem repetidas vezes para você. Em suma, para perder a gordura corporal, você claramente cria independência, autoconfiança, confiança e outras habilidades de perda de gordura corporal que surpreendentemente emanam de seu potencial intelectual mental, em vez de meramente sua capacidade física atual.
Em alguns casos, o especialista aconselha corrigir a alimentação antes de fazer o jejum intermitente. “Há pessoas que se alimentam de maneira incorreta há muito tempo e, quando começam a jejuar, se sentem para baixo, com fome e acabam condenando o método. Mas a culpa, nesses casos, é da alimentação. Antes do jejum ou ao mesmo tempo, é preciso adotar hábitos saudáveis.”
Kahleová acrescenta que os resultados são particularmente importantes para doentes de diabetes tipo 2 e síndrome metabólica: “Esta descoberta é importante para pessoas que estão a tentar perder peso, incluindo pessoas que sofrem de síndrome metabólica e diabetes tipo 2. Mas também é relevante para qualquer pessoa que leve a sério o seu controlo de peso e queira permanecer saudável.”
A gordura corporal em excesso é prejudicial para o nosso corpo e realmente é preciso eliminá-la. Mas o que acontece é que, muitas vezes, a pessoa acaba investindo em dietas que fazem com que sejam perdidas mais água e massa muscular do que gordura. Por isso, quando se fala em emagrecimento, deve-se considerar menos o que a balança mostra e mais o que o seu corpo te diz. A perda de peso saudável é aquela em que acontece apenas a eliminação de massa adiposa.
À primeira vista pode parecer uma bizarrice, mas o método seguido pelo gaúcho radicado no Rio é um protocolo formal adotado em tratamentos contra a obesidade e atende pelo nome de jejum intermitente. E, claro, é cuidadosamente aplicado por profissionais capacitados. Trata-se, basicamente, de cortar, por um período predeterminado e acompanhado de forma criteriosa por especialistas, os alimentos sólidos, sem deixar de beber água e líquidos não calóricos, como chás e cafés — sem açúcar, claro. Na prática, seus seguidores pulam as refeições e, em vez das três habituais, fazem duas ou apenas uma ao dia. O resultado vem na forma de uma perda de peso significativa, consistente e em um espaço de tempo relativamente curto. “O jejum induz o corpo a usar o seu próprio estoque de gordura como fonte de energia rápida, acelerando o emagrecimento. Isso é sabido há muito tempo. O que ninguém conhecia em detalhes era como se dava esse processo, porque cada paciente reage de uma maneira diferente à abordagem”, explica o clínico geral e mestre em endocrinologia Fabiano Serfaty. “Daí a necessi­dade de acompanhamento médico para saber se você pode adotá-lo como mais uma ferramenta — e não a única — na luta contra a obesidade.”

A proteína alimenta os músculos e ajuda a construir mais massa muscular magra. Pois é processada mais lentamente do que os hidratos de carbono, ajuda você a se sentir saciado por mais tempo, então você comer menos. Ele também dá energia sustentável ao longo do dia, é por isso que os atletas escolher para comer proteína durante a maratona de corridas para manter seus níveis de energia elevados.
Essa é a questão real. Não há dúvida de que jejuar cause perda de peso por restrição calórica. Obviamente, quando você não come nada, seu corpo se volta para as próprias reservas de energia - reservas que ocupam espaço e tem massa. O esgotamento dessas reservas reduz a massa e por conseguinte, o peso. Restrição calórica total e absoluta. Essa é a razão elementar e os estudos dos anos 60 demonstram isso.
Há efeitos benéficos do jejum demonstrados por estudos clínicos ou sugeridos em ratinhos. É o caso da redução de picos de glicemia e da resistência à insulina, da perda de peso e manutenção do peso mais baixo, da redução dos níveis de proteína inflamatória, associada a risco reduzido de cancro da mama e do aumento de produção da proteína bnDF, que tem efeitos antidepressivos e estimula a criação de neurónios no hipocampo.

O processo de perda de peso ou definição corporal (o qual tem por objetivo eliminar gordura corporal) é bastante desejado por todos, seja por questões estéticas ou questões que envolvam a saúde. A dieta que deve ser adotada para eliminar gordura não é nada difícil. Contudo existem muitas ”informações” na internet que não passam de meros mitos, os quais podem dificultar o seu objetivo: eliminar gordura, perder peso, etc.

- O gasto calórico de repouso, o metabolismo basal, isto é, o que queimamos sem fazer nada, varia de acordo com genética, idade, peso e massa muscular. Porém a digestão do vegetariano costuma ser acelerada porque ele ingere menos gorduras e mais fibras, e segue uma dieta fracionada, comendo poucas porções em intervalos menores no dia. E come alimentos de alta densidade nutricional e baixas calorias.
UM: De uma vez por todas, aprenda a descobrir o seu consumo calórico diário e os seus números de gasto de energia. Ambos os números são absolutamente cruciais porque dizem exatamente o que seu corpo está fazendo, até mesmo a própria caloria. Uma vez que este processo de cálculo se torne uma segunda natureza para você, o controle total da quantidade de gordura corporal que você carrega está nas palmas das suas próprias mãos.
Participaram do estudo 27 pessoas, que foram divididas em dois grupos que deveriam seguir a dieta 5:2 ou uma dieta diária de restrição calórica. Os indivíduos sob a dieta 5:2 comiam normalmente por cinco dias e nos dois dias de jejum consumiam 600 calorias. Já aqueles na dieta diária foram aconselhados a reduzir as calorias diárias: as mulheres ingeriram cerca de 1400 calorias, e os homens, aproximadamente 1900 calorias/dia.
Os pesquisadores descobriram que os obesos que seguiram a dieta 16:8 consumiram menos calorias, perderam peso e tiveram melhoras na pressão arterial. Na verdade, em média, os participantes consumiram cerca de 350 calorias a menos, perderam cerca de 3% do seu peso corporal e viram a sua pressão arterial sistólica diminuir em cerca de 7 mm de mercúrio (mm Hg), a medida padrão de pressão sangue. Todas as outras medidas, incluindo massa gorda, resistência à insulina e colesterol, foram semelhantes ao grupo controle.
Chá Verde Estimula o Metabolismo – O principal motivo é a enorme quantidade de potentes antioxidantes naturais presente no chá verde, as Catequinas. Essa substância está presente em maior quantidade no chá verde do que no Chá Preto ou o Chá Oolong (4). Destas Catequinas, o mais importante delas é o EGCG (Galato de Epigalocatequina), uma substância que ajuda estimular o metabolismo, o que favorece a queima de gordura (5).
Boa tarde, comecei o jejum em 13.09.2017 (ontem) 16/8, mais só consegui ficar 14 h e 1/2 , acabei tomando um suco de acerola sem açúcar e comi um ovo cozido, as 13.40 h, comi saladas, legumes, alface e tomate, tem algum problema referente ao horário e posso intercalar frutas antes do jantar as 20 horas? Tenho 1.60 e 70 k, idade 66, não faço exercícios físicos.
Este blog é para discutir, sob a ótica da nutrologia e da medicina do esporte, qual o impacto da alimentação sobre o nosso organismo, quais as suas relações com o exercício e como a suplementação pode ajudar. Afinal, todo dia existem novos artigos sendo publicados, novas verdades para serem aprendidas ou questionadas. A ciência nunca está parada, nem você deve ficar.
Esse quadro, que pode evoluir para uma pré-diabetes, ocorre quando o corpo é exposto a picos de glicose e, por consequência, a picos de insulina. Com o tempo, alguns tecidos do corpo passam a se tornar resistentes a este hormônio e é preciso que ele seja produzido em quantidades cada vez maiores para executar as mesmas funções. Isso leva a sobrecarga do pâncreas
Um grupo de investigadores do Instituto de Medicina Clínica e Experimental, em Praga (República Checa), analisou 74 pessoas com diabetes tipo 2 que participaram numa dieta vegetariana ou numa dieta típica “antidiabética”, que seguiu as recomendações oficiais da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes. Todos os participantes estavam restritos a uma dieta de 500 calorias por dia.
As estatísticas das organizações internacionais de saúde mostram que hoje morre mais gente no mundo em decorrência da obesidade do que de aids ou mesmo desnutrição. Da mesma forma, essa disfunção metabólica alavanca os custos de tratamentos médicos para problemas cardíacos, diabetes, hipertensão e outros males que dela decorrem. Daí a preocupação de governantes e autoridades sanitárias da maioria dos países, entre eles o Brasil, com o assunto. Na comunidade científica, pesquisadores se dedicam com cada vez mais afinco a entender os mecanismos ligados ao problema, não mais visto como uma questão de vaidade ou estilo de vida, mas sim como uma ameaça real a pessoas de todas as idades e classes sociais. Em outubro do ano passado, a Academia Real de Ciências da Suécia, que outorga a maior honraria científica do planeta, o prêmio Nobel, contemplou com a medalha de Fisiologia ou Medicina o biólogo japonês Yoshinori Ohsumi, que por duas décadas se dedicou a um estudo que, apesar de não estar ligado diretamente à questão do excesso de peso, abre as portas para se compreender o poder da prática sobre o corpo humano. Ohsumi avaliou os impactos do jejum intermitente nas células e descobriu que a prática não só estende a vida dessas estruturas microscópicas como também as estimula a trabalhar melhor, o que afeta positivamente todo o metabolismo e contribui para a eliminação daquela banha extra acumulada na forma de pneus em volta da cintura.
Não, desde que você tenha uma alimentação saudável, rica em nutrientes, ingerindo regularmente boas fontes de proteínas, gorduras e hortaliças. O problema maior é que algumas pessoas, num estilo de vida nada saudável, pulam o café da manhã, não se exercitam, mas terminam comendo vários doces e alimentos processados desde o período da manhã – para compensar.
Tudo levado em consideração, jejum é uma maneira efetiva de perder gordura corporal. Não é o único modo, e não é "obrigatório" para a abordagem primal, mas muitos na comunidade descobriram que é muito útil e a literatura os suporta. Se você está procurando acelerar a sua perda de gordura, jejuar pode ser o bilhete premiado. Para ter idéias, veja o meu artigo sobre vários métodos de jejum.
Um grupo de investigadores do Instituto de Medicina Clínica e Experimental, em Praga (República Checa), analisou 74 pessoas com diabetes tipo 2 que participaram numa dieta vegetariana ou numa dieta típica “antidiabética”, que seguiu as recomendações oficiais da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes. Todos os participantes estavam restritos a uma dieta de 500 calorias por dia.

Que tal fazer ciclos calóricos? Já foi citado o ciclo de carboidratos, mas isso pode ser feito com calorias também, seguindo a mesma lógica científica: se não consome calorias o suficiente, seu corpo fica tenso, o metabolismo começa a desacelerar e consumir seus músculos. Por isso, quando estiver em uma dieta com poucas calorias, inclua dias de maior ingestão calórica para mantê-la funcionando e acelerar o corpo.
Nos dois dias de jejum deve preferir-se alimentos saciantes. A chave esta em combinar os de elevado teor de proteínas com os de baixo índice glicémico. E imposto um máximo de 50 gramas de proteína por dia e aconselhada a preferência por boas proteínas como peixe branco ao vapor, frango sem pele, laticínios magros, camarão, atum, tofu, frutos secos, sementes, leguminosas e ovos.

Cada vez mais pessoas sofrem de inflamação crónica da glândula da tiroide e apresentam sintomas como palpitações, sudorese, pressão alta (hipertensão), diarreia, perda de peso, insónia, ansiedade, inquietação, mãos trémulas, fraqueza muscular, nervosismo e desejo. Existem evidências de que o jejum intermitente, sob supervisão médica, pode ter efeitos positivos para a doença. (Ligação 1, Ligação 2).
Essa é a questão real. Não há dúvida de que jejuar cause perda de peso por restrição calórica. Obviamente, quando você não come nada, seu corpo se volta para as próprias reservas de energia - reservas que ocupam espaço e tem massa. O esgotamento dessas reservas reduz a massa e por conseguinte, o peso. Restrição calórica total e absoluta. Essa é a razão elementar e os estudos dos anos 60 demonstram isso.
O motivo, de acordo com os médicos responsáveis pela pesquisa, mostra que a ingestão abundante de grãos integrais, frutas e vegetais podem desempenhar papeis favoráveis em dietas vegetarianas. Além disso, produtos integrais e legumes, geralmente têm um baixo índice glicêmico, não acumulando níveis de açúcar no sangue. O fato ajuda a retardar a velocidade à qual o alimento sai do estômago e assegura uma boa digestão.
Esse suco é bastante diurético graças à melancia e ainda funciona como um alimento termogênico, pois acelera o metabolismo. Isso acontece por conta do gengibre, raiz com diversas utilidades medicinais que é capaz de aumentar o gasto calórico em mais de 10%. Outra característica do composto é a desintoxicação do organismo, resultado da ingestão do manjericão.
Se o objetivo de jejuar for emagrecer, é importante ter uma alimentação saudável no restante no dia. Se o paciente enfiar o pé na jaca, não adianta ficar horas sem comer. “Criei um conceito chamado alimentação forte para mostrar para as pessoas o que é, de fato, uma alimentação saudável baseada na ciência", fala Polesso. "É necessário excluir da dieta alimentos processados, refinados, açúcares e as gorduras ruins, como óleos vegetais de milho, canola e soja, encontrados na margarina, por exemplo.”
Estrelas da equipe brasileira de nado sincronizado nos Jogos Olímpicos do Rio, as irmãs gêmeas Bia, de 1,63 metro, e Branca Feres, de 1,65, mudaram de vida com o fim da competição. Adeptas de uma rotina espartana de treinos, elas se afastaram das piscinas e como consequência ganharam, em apenas três semanas, respectivamente, 6 e 8 quilos. Ao adotarem a dieta do jejum, secaram 6 quilos cada uma em três meses. “De manhã, passei a tomar só um café preto. E em dias mais corridos pulava o almoço. Ficava mais leve e mais disposta depois, mas sempre nos preocupamos com a escolha correta dos alimentos que consumíamos”, conta Bia, que voltou imediatamente aos treinamentos, mesmo que isso significasse se exercitar com a barriga roncando.
As estatísticas das organizações internacionais de saúde mostram que hoje morre mais gente no mundo em decorrência da obesidade do que de aids ou mesmo desnutrição. Da mesma forma, essa disfunção metabólica alavanca os custos de tratamentos médicos para problemas cardíacos, diabetes, hipertensão e outros males que dela decorrem. Daí a preocupação de governantes e autoridades sanitárias da maioria dos países, entre eles o Brasil, com o assunto. Na comunidade científica, pesquisadores se dedicam com cada vez mais afinco a entender os mecanismos ligados ao problema, não mais visto como uma questão de vaidade ou estilo de vida, mas sim como uma ameaça real a pessoas de todas as idades e classes sociais. Em outubro do ano passado, a Academia Real de Ciências da Suécia, que outorga a maior honraria científica do planeta, o prêmio Nobel, contemplou com a medalha de Fisiologia ou Medicina o biólogo japonês Yoshinori Ohsumi, que por duas décadas se dedicou a um estudo que, apesar de não estar ligado diretamente à questão do excesso de peso, abre as portas para se compreender o poder da prática sobre o corpo humano. Ohsumi avaliou os impactos do jejum intermitente nas células e descobriu que a prática não só estende a vida dessas estruturas microscópicas como também as estimula a trabalhar melhor, o que afeta positivamente todo o metabolismo e contribui para a eliminação daquela banha extra acumulada na forma de pneus em volta da cintura.
Durante um jejum, as células do corpo começam a realizar um processo chamado autofagia. Ao longo do tempo, as proteínas disfuncionais ou danificadas podem crescer dentro das células, e este processo de remoção de resíduos ajuda o corpo a eliminar esse excesso de material. Este processo é uma parte fundamental da capacidade do corpo de se reparar e se desintoxicar, e alguns pesquisadores afirmaram que o aumento da autofagia oferece um impulso na proteção de uma série de doenças, incluindo o câncer e a doença de Alzheimer.
Recebi um áudio hoje pela manha onde esclarecia a morte de uma enfermeira por insuficiência renal fulminante…. ela havia usado o cha dessa planta no tratamento de perda de peso. E acabou que os rins dela nao suportou o mal que essa planta fez. entao gostaria de alertar aos usuarios dessa planta para que fiquem atentos. É melhor estar gordo, bem nutrido e vivo, do que magrinho antecipar a morte por causa de alguns quilinhos a mais.
Seguir uma dieta balanceada: isso não significa que você terá que fechar a boca ou viver de salada, como muitos pensam… Pelo contrário! Uma alimentação equilibrada inclui todos os grupos de alimentos, porém, consumidos com equilíbrio e sem exageros, uma vez que nosso organismo só armazena na forma de gordura aquilo que está em excesso no nosso corpo e que não foi utilizado para o fornecimento de energia;
Mas a doutora Susan Berkow, PhD da Universidade de George Mason, de Washington D.C., faz um alerta: a dieta vegetariana só tem efeito de perda radical de peso para os carnívoros. Por que? Ela explica: como os vegetarianos são, em média, mais magros do que os carnívoros, para eles é muito mais difícil perder peso. Eles chegam a um ponto que, por defesa de seu organismo, não emagrecem mais.

“Durante a dieta, eu tomava o chá verde Dr. Dukan todos os dias. Não tinha um horário específico, mas gostava de tomar pois sentia os efeitos estimulantes e termogênicos da pimenta caiena. Gostei tanto que continuo tomando o chá mesmo depois de ter terminado a Dieta Dukan. Sinto uma disposição maior quando tomo o chá, isso às vezes me ajuda a fazer as atividades físicas do dia”, relata Adriana.
×