A gente comemora qualquer diferença na balança quando ela mostra um número menor, mas isso nem sempre quer dizer que você está ficando magra. É melhor tomar cuidado antes de fazer as dietas malucas das revistas porque elas podem não ajudar muito e ainda por cima não ser saudável, ou seja, você não deve apenas se preocupar em perder peso, mas sim também em perder gordura corporal.
O limão também pode ser tomado antes das refeições principais, mas com água gelada. A água gelada faz com que o organismo tenha que gastar mais energia para aquecê-la, queimando algumas calorias a mais, o que também ajuda a emagrecer. Outra opção é adicionar raspas de gengibre ao suco, pois essa raiz também tem propriedades que ajudam na perda de peso.
A dieta vegetariana consiste em um cardápio que elimina o consumo de carnes, e em alguns casos os seus derivados. Ela se mostra eficiente, pois ao parar de consumir produtos de origem animal, se para de consumir gordura saturada e consequentemente se consome menos calorias. Na dieta vegetariana se consome mais fibras, legumes, verduras, cereais integrais, o que ajuda a emagrecer, e no caso das fibras elas ajudam a saciar a fome. Quando o corpo está acostumado a ingerir carne, a falta dela faz com que o metabolismo tenha um choque que leva a perda de peso.
Com o jejum intermitente, as células do corpo tornam-se mais resistentes ao stress e mais capazes de suportar doenças. A reação do corpo ao jejum é semelhante à sua reação ao desporto – através de “treino” frequente, torna-se mais resistente a doenças. A autofagia também é estimulada pela remoção de proteínas disfuncionais da célula. (Ligação 1, Ligação 2)
* O leite de amêndoas é feito batendo-se 1 xícara de amêndoas com 3 xícaras de água no liquidificador. Coe em um voal fino para separar a parte sólida da líquida.  Uma boa dica é descascar as amêndoas e utilizar a parte sólida do leite para fazer um tipo de “queijo”, acrescentando pimenta do reino, algumas gotas de limão, ervas e um um pouco de sal do himalaia, moldando no formato redondo, estilo queijo, com as mãos.
A dieta proposta no estudo consiste em comer apenas em uma faixa horária do dia, em particular por 8 horas, daí o nome de dieta do jejum intermitente 16:8 que, testada em indivíduos obesos, em particular 23 com a média de idade de 45 anos e um índice de massa corporal médio de 35 (tendo em conta que 30 é o limiar, para além do qual, a OMS fala em obesidade).

Esta é também uma ferramenta mais eficaz do que a restrição calórica em longo prazo, que, muitas vezes, pode causar danos ao metabolismo. A perda de peso geralmente vai de mãos dadas com a perda de músculo – e, como o tecido muscular é o que mais queima calorias, ter menos músculo leva a uma queda na capacidade do organismo para metabolizar os alimentos. O jejum intermitente, porém, mantém seu metabolismo funcionando sem problemas, ajudando você a manter a sua massa magra.
A turma da barriga vazia seguiu um modelo assim: no dia da privação, devia consumir 25% das necessidades calóricas. Complicou? Bem, vamos supor que, normalmente, esses indivíduos pudessem ingerir 2 mil calorias. Então, no jejum, teriam à disposição somente 500 calorias. Por outro lado, no dia seguinte estavam liberados para chegar a 125% das suas necessidades calóricas, isto é, 2 500 calorias. Em resumo: ora comiam míseras 500 calorias, ora se refestelavam com cinco vezes mais do que isso. Já entre a parcela que passou pela restrição clássica, a orientação foi cortar, todos os dias, 25% das necessidades calóricas habituais – seria o equivalente a comer 1 500 calorias em vez de 2 mil.
Ao diminuir este processo, o chá de hibisco contribui para que menos gordura fique acumulada na região do abdômen e nos quadris. Ainda não está claro qual é a substância presente na bebida que é responsável pelo benefício. Porém, acredita-se que a ação antioxidantes dos flavonoides antocianina e quercetina contribuem para reduzir o depósito de gordura.
×