Ao terminar uma refeição, o organismo gasta algumas horas processando o alimento para obter energia. Como há muito combustível disponível, o corpo opta por usar o que você acabou de ingerir como energia ao invés de usar a gordura armazenada, que é muito mais trabalhosa para ser queimada. Além disso, se você acabou de ingerir muitos carboidratos, isso é mais pronunciado ainda, já que a queima de açúcar é a mais simples de todas para obtenção de energia.
Embora muitas pessoas bebam chá apenas por sua qualidade calmante e sabor, cada xícara também pode ajudar com o emagrecimento. Substituir bebidas de alto teor calórico, como suco ou refrigerante, por chá pode ajudar a reduzir a ingestão total de calorias e pode levar à perda de peso. Além disso, muitos tipos de chá são especialmente ricos em compostos benéficos para todo o corpo.
Para chegar a essa conclusão, pesquisadores da Universidade de Surrey, na Inglaterra, analisaram o impacto da dieta 5:2 – que consiste em comer normalmente cinco vezes por semana e ter uma alimentação muito restritiva duas vezes – na capacidade de metabolismo do corpo e na predisposição do organismo limpar a gordura e a glicose após uma refeição, em comparação com as dietas convencionais.
Outras substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. Ainda não acabou: “O hibisco tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes”, afirma a bióloga Lúcia Helena Guerra Arantes, de Belo Horizonte.
Eu gosto dessa frase. É fazer uma limonada (não-calórica) com os limões que a vida te dá, e de todos pensamentos transcedentais contidos no livro do Hesse, essa linha me chama atenção como uma maneira bacana, sem nonsense, de tirar o melhor de uma situação ruim. Sem dúvidas sobre isso. Mas quão útil ela é, realmente, para os leitores de hoje ? Muito poucos de nós jamais passaram por uma situação de "não ter o que comer". Ao contrário, a comida está sempre à mão, com pouco esforço necessário para obtê-la. Na prática, isso não é completamente verdade. Lixo processado e fast food estão sempre disponíveis, enquanto as coisas boas - carnes frescas e verduras, comida de verdade, você sabe - requerem preparo, cozimento, tempo, e lavar pratos. Mas o ponto principal continua valendo: nós raramente ficamos sem.
Reservamos energia sob a forma de gordura para um eventual período de escassez alimentar. Assim, qual seria o sentido de armazenar energia como gordura e num primeiro momento de escassez começarmos a consumir o músculo?! Quando o organismo entra em modo de jejum são ativados mecanismos hormonais que levam à mobilização da gordura acumulada como fonte de energia (p.ex. descida da insulina) e simultaneamente à preservação do músculo (p.ex. aumento da hormona de crescimento GH) .8,9,10,11,12,13
Outro dos benefícios de saúde de dieta vegetariana é que ele pode ajudar a baixar a pressão arterial. Os vegetarianos têm frequentemente menor pressão arterial taxa de pessoas que são não-vegetarianos, e eles também têm menores riscos de hipertensão do que as pessoas que estão na mesma idade. Muitos estudos mostraram que, se as pessoas comem um monte de alimentos derivados de animais, a sua pressão arterial tende a subir cada vez mais alto. Portanto, os vegetarianos têm a sofrer menos efeitos negativos sobre a pressão arterial do que comedores de carne.
Chá Verde influencia os Hormônios a Queimar Gordura – O EGCG ativo no Chá Verde também, aumenta os efeitos de alguns hormônios da queima de gordura. Inibindo uma enzima que quebra o hormônio noradrenalina (8). Quando esta enzima é inibida, a quantidade de norepinefrina aumenta (9). Este hormônio é usado pelo sistema nervoso como um sinal para as células de gordura, dizendo-lhes para quebrar a gordura.
Das wöchentliche Programm bietet viel Abwechslung und weicht damit von den Standard-Methoden wie „16-8“, bei der man das Frühstück oder das Abendessen ausfallen lässt, ab. Die größere Varianz und Variabilität beim Fasten fordert den menschlichen Körper im Gegensatz zu den immer gleichen Fastenintervallen noch mehr und macht ihn noch belastbarer und flexibler. Die Fastenzeiten des Coaches sind daher von Woche zu Woche unterschiedlich lang, und werden zu verschiedenen, zu Deinem Tagesablauf passenden Zeiten vorgeschlagen.
Mas será que parte dessas pessoas está adotando a dieta vegetariana achando que dessa forma vai emagrecer mais rápido? Se este é o motivo, ele tem fundamento. Segundo Dr. George Guimarães, nutricionista especializado em dietas vegetarianas, quando comparada a uma dieta onívora, a vegetariana é rica em fibras e água e é mais pobre em gordura, em especial a saturada.
Outro dos benefícios de saúde de dieta vegetariana é que ele pode ajudar a baixar a pressão arterial. Os vegetarianos têm frequentemente menor pressão arterial taxa de pessoas que são não-vegetarianos, e eles também têm menores riscos de hipertensão do que as pessoas que estão na mesma idade. Muitos estudos mostraram que, se as pessoas comem um monte de alimentos derivados de animais, a sua pressão arterial tende a subir cada vez mais alto. Portanto, os vegetarianos têm a sofrer menos efeitos negativos sobre a pressão arterial do que comedores de carne.
De acordo com um novo estudo, publicado no ‘Journal of the American College of Nutrition’, essa alimentação acelera o metabolismo reduzindo fatores de risco da síndrome metabólica (conjunto de fatores de risco, essencialmente cardiovasculares, que têm por base a obesidade abdominal) e diabetes tipo 2, assim como contribui para o alcance da perda de peso almejada, melhora o controle da glicemia e aumenta a sensibilidade à insulina.
Estudos têm demonstrado que os alimentos vegetarianos conter mais fibras e menos ácido solúvel em gordura do que os alimentos normais. A fibra pode reduzir a transformação de ácidos biliares primários em secundários - as substâncias que foram mostrados para causar câncer de cólon. ácidos graxos e esteróis podem aumentar o risco de câncer de cólon. Os alimentos vegetarianos também contêm substâncias que podem ajudar a prevenir câncer como antioxidantes e produtos químicos da planta.
A perda de peso "rápida e sustentável" é, alegadamente, apenas um dos benefícios. Os "ganhos para a saúde a longo prazo", incluindo redução do risco de diabetes, doenças cardíacas e cancro, são "a grande mais-valia", sublinha. O livro foi escrito com Mimi Spencer, jornalista na área da alimentação, também ela praticante da dieta. Depois de o lermos e reunirmos as regras, pedimos a opinião do nutricionista Miguel Rego.
"No ponto de vista médico, dependendo do perfil do paciente (se ele estiver acima do peso, tem um estilo de vida em que consegue ficar sem comer e é mais sedentário, ou seja, não precisa de energia para praticar atividade física) propor jejum de 12 a 14 horas não é tão difícil e não vejo problemas, salvo as exceções que já foram citadas. Só é importante ver o perfil físico e psicológico do paciente e ter critério durante as janelas de alimentação", nutrólogo Roberto Navarro, membro da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN).
Inúmeras pessoas que recorrem ao jejum intermitente relataram que esta técnica possui um efeito positivo nos sintomas de alergias e intolerâncias. Após um curto período de tempo, as alergias desaparecem porque o corpo tem mais tempo para desintoxicar. Muitos estudos apontam para tais resultados positivos. (Ligação 1, Ligação 2, Ligação 3, Ligação 4)
Os meios de comunicação social dizem que a tendência mais recente é o intervalo de jejum, ou jejum intermitente. Todos falam disso, mas é um assunto tão velho quanto a humanidade. Antigamente, não havia três a quatro refeições por dia na mesa. Os nossos antepassados tinham de caçar e recolher alimentos e permaneciam ativos durante todo o dia. Eram capazes de resistir a longos e frequentes períodos sem alimentos. Com o jejum intermitente, portanto, vivemos de acordo com o nosso relógio biológico natural.
As dietas veganas só incluem produtos de origem vegetal para suprir as necessidades alimentícias e de nutrientes do organismo. Sendo assim, ela não possui qualquer produto animal, como carne, peixe, ovos, mel ou laticínios.[1][2] Os veganos são mais saudáveis e magros e têm menos colesterol, pressão mais baixa e poucos riscos de ter doenças cardiovasculares, diabetes e alguns tipos de câncer.[3][4] Se você quer adotar esses hábitos para perder peso, entenda o que a dieta envolve, como ingerir todos os nutrientes necessários e evitar o que é nocivo.

Cada vez mais pessoas sofrem de inflamação crónica da glândula da tiroide e apresentam sintomas como palpitações, sudorese, pressão alta (hipertensão), diarreia, perda de peso, insónia, ansiedade, inquietação, mãos trémulas, fraqueza muscular, nervosismo e desejo. Existem evidências de que o jejum intermitente, sob supervisão médica, pode ter efeitos positivos para a doença. (Ligação 1, Ligação 2).


Uma menor porcentagem de gordura corporal tem benefícios de grande alcance em todo o corpo, principalmente na função cardíaca. De forma consistente, os estudos mostraram que as populações mórmons apresentam menor mortalidade cardíaca – geralmente atribuído ao fato de que as pessoas que seguem a religião não fumam, bebem ou comem grandes quantidades de carne. Além disso, os mórmons praticam jejum intermitente, o qual pode levar a uma redução nos níveis de colesterol – particularmente triglicérides, que o corpo usa para criar energia. Ter menos gordura corporal também tira tensão dos rins, reduzindo a pressão arterial e aumentando a produção de hormônios de crescimento no organismo. Combinados, esses benefícios maravilhosos podem significar uma melhoria significativa na função cardíaca.

Como se depreende, consiste em não ingerir nenhuma espécie de alimento. Contudo, bebe-se água à vontade, utilizam-se vitaminas e sais minerais. Esta dieta é cada vez menos utilizada, pois requer hospitalização e contínua vigilância médica. Além disso, os exíguos resultados k longo prazo não justificam o enorme sacrifício e desgaste do doente, especialmente porque quando se suspende o jejum absoluto é costume ganhar peso com rapidez.
A dieta tradicional dos praticantes de yoga tem sido uma dieta vegetariana. A dieta yoga consiste em frutas, vegetais, grãos e produtos lácteos. Uma vez que o corpo tenha aclimatado para tal uma dieta que não só pode sobreviver, mas também prosperar além de perda de peso, tudo ao mesmo tempo. A dieta de yoga é um plano de perda de peso vegetariana grande.
Outra consequência do jejum intermitente é que o metabolismo basal também não desacelera, como muitos pensam. “O metabolismo basal gasta a quantidade de calorias no dia que uma pessoa precisa para manter o mesmo peso. As pessoas acham que não comer vai desacelerar o metabolismo, ou seja, você vai queimar menos calorias. Mas um estudo mostrou que ele continua acelerado até em jejuns bastante longos.”
O corpo geralmente entra em modo de fome ou inanição quando a ingestão começa a cair abaixo de 1.200 calorias por dia. Se estiver interessado em usar ciclos calóricos, saiba quantas calorias seu corpo precisa antes de começar a definir os números. Você pode chegar a consumir apenas 1.200 calorias algumas vezes, mas não faça isso em dias seguidos.[4]
O chá verde ainda age na composição de gorduras no corpo. Estudo preliminares apontam que uma das catequinas mais presentes no chá verde, a epigalocatequina galato, estimula diversas enzimas que controlam o metabolismo das gorduras e até incentivam a quebra delas. Assim, as gorduras são melhores utilizadas pelo nosso organismo e não ficam paradas no tecido adiposo.
×