Invista nos alimentos termogênicos: estes alimentos têm a capacidade de fazer nosso metabolismo trabalhar de forma mais rápida. Assim, nosso organismo acaba queimando mais calorias e disponibilizando as gorduras para serem queimadas e transformadas em energia. Alguns exemplos de alimentos termogênicos são: chá verde, óleo de cártamo, óleo de coco, brócolis, pimenta vermelha, gengibre, entre outros;

Todas as dietas para emagrecer têm em comum uma regra: deve-se ingerir bastante líquido. Isto porque beber água, chás e sucos favorecem a eliminação de toxinas, além de contribuírem para reduzir a retenção de líquidos. No caso dos chás, eles são importantíssimos nas dietas, pois colaboram na perda de peso, já que alguns possuem substâncias consideradas termogênicas.
O jejum intermitente é capaz de afetar o nível de alguns hormônios que estão diretamente ligados à obtenção de energia e podem ajudar a perder peso. A gordura corporal é a maneira do organismo armazenar energia. Quando não comemos nada, o corpo se adequa para tornar a energia armazenada mais acessível. Desta forma, ocorrem mudanças na atividade do sistema nervoso, bem como mudanças em vários hormônios cruciais para o funcionamento do organismo.
Esse pormenor garante-lhes uma concentração de antioxidantes e substâncias termogénicas cerca de 40% maior do que a do chá verde. A sua preparação não difere, contudo, da deste chá. Basta colocar a água a ferver e, antes de surgirem as primeiras bolhas, acrescente a erva, usando duas colheres de sopa rasas para um litro de água ou duas colheres de chá rasas para uma chávena de água). Abafe por cinco minutos e coe.
Outras substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. Ainda não acabou: “O hibisco tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes”, afirma a bióloga Lúcia Helena Guerra Arantes, de Belo Horizonte.
Olá, Walmar Andrade! Tudo bem. Olha eu ameiii seus relatos, sua matéria. Bom, eu hoje peso 100 kg, isso me da depressão e quero muito perder peso urgente, pois, tenho apenas 1,62 de altura e isso me prejudica muito… Estou muito feliz por conhecer as possibilidades que a “Dieta Intermitente” nos oferecendo, então iniciei semana passada com 12 hs, agora com 18hs confesso que no início senti dor de cabeça, fraqueza, sono… e tc, mas agora me sinto melhor. Haa… estou fazendo zumba entrei na academia rsrsr 3x por semana. Obrigado pelos seus incentivos e sua força. Logo, logo posto aqui meus resultados.#tamojuntogalera!!!
Mas os potenciais benefícios que os estudos em animais sugerem vão além da perda de peso e composição corporal – estimulação de factores neurotróficos e neuroplasticidade, redução da inflamação, menor stress oxidativo, maior sensibilidade à insulina, redução da pressão arterial, longevidade, entre outros. A redução da inflamação poderá estar associada ao aumento do cortisol que se verifica em restrição calórica e privação alimentar, com a redução dos níveis de leptina e aumento da adiponectina. A maior actividade da AMPK em restrição energética pode também explicar grande parte dos potenciais benefícios do jejum, incluindo a autofagia, renovação celular, o aumento da capacidade antioxidante, e sensibilidade à insulina. Mas mais uma vez podemos constatar que não se tratam de benefícios do jejum por si, mas sim da restrição energética. Tal como o aumento da longevidade, pela redução do consumo de oxigénio e metabolismo, com menor formação de radicais livres e agressão celular.
Setenta e quatro indivíduos com diabetes tipo 2 foram aleatoriamente escolhidos e orientados a seguir uma dieta vegetariana ou uma dieta antidiabética convencional. A dieta vegetariana consistiu em vegetais, grãos, legumes, frutas e nozes, com produtos animais limitados ao máximo de uma porção de iogurte com baixo teor de gordura por dia. A dieta diabética convencional seguiu as recomendações oficiais da European Association for the Study of Diabetes (EASD). Ambas as dietas tiveram limite de 500 quilocalorias por dia em comparação com uma ingestão isocalórica para cada indivíduo.

Com base nos resultados, a dieta vegetariana pode fazer perder duas vezes mais peso do que uma dieta somente de restrição calórica. Na dieta vegetariana, 60% das calorias vieram de carboidratos, 15% de proteínas e 25% de gordura. Já na convencional dieta antidiabética, 50% vieram de carboidratos, 20% de proteínas e 30% de gorduras, limitando as saturadas em 7%.
Sou adepta ao JI há alguns meses e te aconselharia: almoçar às 12 hrs (se quiser potencializar seu emagrecimento coma muita salada, legumes e carne, frango ou peixe – esses alimentos te dão a sensação que está de estômago cheio e isso vai reduzir sua fome, EVITE carboidratos, mas se não conseguir eliminar eles, coma menos), durante a tarde você pode comer frutas (às vezes eu como até bolacha, mas somente a integral) e um pouco antes de acabar seu horário , que seria às 18hrs, você pode comer por exemplo novamente salada e um filé de frango.

Quando se trata de perder gordura, uma dieta vegetariana é duas vezes mais eficaz do que a carnívora. De acordo com novo estudo, publicado no periódico científico Journal of the American College of Nutrition, essa alimentação acelera o metabolismo reduzindo fatores de risco da síndrome metabólica e diabetes tipo 2, como contribui para o alcance da perda de peso almejada, melhora o controle da glicemia e aumenta a sensibilidade à insulina.
Os mecanismos que fazem o chá branco ter ação termogênica são os mesmos dos chás preto e verde. Com a diferença de que a termogênese no chá branco é menor porque entre os três chás ele é o que possui menor quantidade de cafeína. Ao invés disso, o chá branco conta com alta concentração de antioxidantes. Por isso, o chá branco ajuda a prevenir o câncer, protege o cérebro e a visão.
Setenta e quatro indivíduos com diabetes tipo 2 foram aleatoriamente escolhidos e orientados a seguir uma dieta vegetariana ou uma dieta antidiabética convencional. A dieta vegetariana consistiu em vegetais, grãos, legumes, frutas e nozes, com produtos animais limitados ao máximo de uma porção de iogurte com baixo teor de gordura por dia. A dieta diabética convencional seguiu as recomendações oficiais da European Association for the Study of Diabetes (EASD). Ambas as dietas tiveram limite de 500 quilocalorias por dia em comparação com uma ingestão isocalórica para cada indivíduo.
Antes que você fique tentada a acrescentar mais de três ervas na mesma xícara, atenção: essa é uma medida segura. “O uso de muitas plantas faz com que elas entrem em competição, diminuindo o efeito uma da outra. E o objetivo é justamente o contrário: permitir que elas trabalhem em sinergia, aumentando o efeito emagrecedor do chá“, explica a fitoterapeuta e nutricionista Vanderli Marchiori, presidente da Associação Paulista de Fitoterapia. Outro procedimento importante: “Procurar sempre adquirir as ervas em lojas especializadas, que garantam o manuseio e armazenamento corretos das plantas.”
Não, desde que você tenha uma alimentação saudável, rica em nutrientes, ingerindo regularmente boas fontes de proteínas, gorduras e hortaliças. O problema maior é que algumas pessoas, num estilo de vida nada saudável, pulam o café da manhã, não se exercitam, mas terminam comendo vários doces e alimentos processados desde o período da manhã – para compensar.
Se o objetivo de jejuar for emagrecer, é importante ter uma alimentação saudável no restante no dia. Se o paciente enfiar o pé na jaca, não adianta ficar horas sem comer. “Criei um conceito chamado alimentação forte para mostrar para as pessoas o que é, de fato, uma alimentação saudável baseada na ciência", fala Polesso. "É necessário excluir da dieta alimentos processados, refinados, açúcares e as gorduras ruins, como óleos vegetais de milho, canola e soja, encontrados na margarina, por exemplo.”
Para o jejum começar a fazer efeito e a trazer benefícios, Polesso afirma que é preciso ficar mais de 12 horas sem comer. Ele costuma indicar o protocolo 16/8, no qual o paciente permanece 16 horas em jejum e faz todas as refeições no período de 8 horas, mas existem pessoas que ficam até 24 horas sem se alimentar. “Quem costuma jantar às 20h, por exemplo, pode pular o café da manhã no dia seguinte e almoçar às 12h", explica. "O paciente ficará 16 horas sem comer, incluindo o tempo em que estiver dormindo.”
Obviamente, perder peso não é um passeio. Os médicos costumam dar à perda forçada de gordura corporal o nome de distúrbio eletrolítico. Quem já fez regime sabe que em um primeiro momento, além da fome abissal e do humor azedo, fazem parte do processo espasmos musculares, distúrbios intestinais, tontura, cãibras e outros efeitos desagradáveis. Com o tempo, entretanto, o organismo se acostuma às novas condições e passa a funcionar melhor — ou seja, paciência e disciplina são fundamentais. Em tratamento há quase um ano, a estudante de odontologia Isabela Miranda, 25, aderiu ao jejum nos últimos três meses. “Eu me dei conta de que muitas vezes comia apenas por hábito, não por necessidade”, diz ela, que passou de 76 para 47 quilos.
Tanto o gengibre quanto o chá de gengibre contam com substâncias termogênicas que tem a capacidade de aumentar a temperatura corporal, acelerando o metabolismo e elevando a queima de gordura. É interessante fazer a infusão de pedaços de gengibre frescos. O chá de gengibre ainda ajuda no tratamento de gripes, tosses e resfriados. Ele também hidrata o corpo e ajuda a eliminar toxinas, o que irá contribuir ainda mais para o emagrecimento.
Não esqueçamos que esta abordagem da perda de peso não deve ser aplicada em todos os casos. É de salientar que nas primeiras 3-6 semanas, os níveis de apetite e de humor, bem como o estado psicológico de forma geral, ficam (bastante) alterados, podendo comprometer o cumprimento da dieta, mas, normalmente, no final desse período, elesregularizam. É, por isso, fundamental que a pessoa esteja totalmente preparada e mentalizada para esta estratégia e consciente do que ela implica.Ultrapassada a tal fase inicial, normalmente a sensação de fome deixa de ser entendida com o carácter de sacrifício e punição e passa a ser um objetivo a atingir e a superar. Poderá de facto ser um aliado muito importante na gestão do peso.
Esse pormenor garante-lhes uma concentração de antioxidantes e substâncias termogénicas cerca de 40% maior do que a do chá verde. A sua preparação não difere, contudo, da deste chá. Basta colocar a água a ferver e, antes de surgirem as primeiras bolhas, acrescente a erva, usando duas colheres de sopa rasas para um litro de água ou duas colheres de chá rasas para uma chávena de água). Abafe por cinco minutos e coe.

A quantidade recomendada de chá-mate é de cerca de um litro por dia no qual é utilizado 20 gramas das folhas de erva-mate ou entre 15 e 20 saquinhos de chá. É interessante dividir a bebida em porções de 330 ml e tomá-las durante ou antes das principais refeições, café da manhã, almoço e jantar. Sendo que o melhor é ingerir um pouco antes das principais refeições. Desta forma, as propriedades que diminuem a absorção de colesterol já estarão a postos no momento em que os alimentos chegarem e assim evitarão a absorção de colesterol no intestino delgado.
×