A dieta vegetariana para emagrecer se mostra extremamente eficaz, e o resultado é um corpo mais saudável e sem os quilos extras. Seguindo a tabela de alimentos permitidos e proibidos, e realizando exercícios físicos em conjunto é uma dieta que melhora o corpo por dentro e por fora. A dieta vegetariana visa uma qualidade melhor de vida.  Conheça outras dietas >
Jejuar diminui o nível de insulina em jejum. A presença de insulina inibe a lipólise, a liberação de triglicerídeos armazenados (gordura corporal). Sem a lipólise liberando a gordura corporal, é bastante difícil usar essa mesma gordura como combustível. Durante um jejum, a insulina em jejum diminui e a lipólise aumenta. Esse aspecto inibidor de insulina do jejum é que literalmente permite o sucesso do jejum, porque sem a habilidade de acessar a gordura corporal armazenada e usá-la como energia, conseguir passar por um período de zero ingesta calórica é praticamente impossível.
Boa tarde, comecei o jejum em 13.09.2017 (ontem) 16/8, mais só consegui ficar 14 h e 1/2 , acabei tomando um suco de acerola sem açúcar e comi um ovo cozido, as 13.40 h, comi saladas, legumes, alface e tomate, tem algum problema referente ao horário e posso intercalar frutas antes do jantar as 20 horas? Tenho 1.60 e 70 k, idade 66, não faço exercícios físicos.
Pesquisas mostram que o chá oolong, um chá semi fermentado pode ter um efeito mais forte que o chá verde, promovendo queima de gordura até 157% melhor. O chá oolong bloqueia a oxidação em 50% em apenas 15 dias. Pesquisas sugerem que o chá oolong acelera o metabolismo, queima gordura e bloqueia a absorção de gordura. Além da perda de peso, ele é bom para diabetes tipo 2, pacientes com doenças cardíacas, reduz pressão arterial, previne apodrecimento dos dentes e melhora sua pele. Algumas pesquisas concluíram que o chá oolong reduz o colesterol e aumenta os níveis de adiponectina que te salva da epidemia da obesidade. Faça uma infusão do chá oolong em qualquer lugar por 30 segundos a 5 minutos, para uma xícara mais forte.
Chausse, um dos cientistas brasileiros dedicados a entender os efeitos da prática no metabolismo, levanta uma hipótese para explicar por que é tão penoso mantê-lo. “Em muitos estudos, o jejum incita o aumento nos níveis de neurotransmissores que estimulam a fome”, explica. Para a nutricionista Sophie Deram, autora do livro O Peso das Dietas (Editora Sensus), isso é totalmente compreensível. “Trata-se de uma defesa do próprio corpo para fazer você comer”, resume.
Quando a balança mostra uma queda no peso, esta pode estar relacionada à perda de líquidos corporais ou musculatura. "Para saber se houve perda de gordura corporal (que é o intuito do emagrecimento), é preciso uma avaliação minuciosa, na qual o profissional habilitado utilizará de alguns aparelhos para a avaliação, como adipômetro, fita métrica e bioimpedância (aparelho que mede percentual de gordura, massa muscular e líquidos corporais)", conta Raquel Pegoraro, nutricionista com especialização em nutrição clínica pelo GANEP.
No caso da dieta com jejum em dias alternados, nos dias de jejum (1 ou 2 dias por semana) é permitido que a pessoa ingira entre 500 ou 600 calorias (cerca de 75% de restrição calórica), consoante é mulher ou homem, respetivamente, e nos restantes dias pode comer “livremente”. Entenda-se que este “livremente” deve sempre seguir algumas regras e sobretudo haver bom senso e equilíbrio, pois nos dias de jejum há muitos nutrientes essenciais que não são ingeridos e que devem ser repostos nos dias de não-jejum (vitaminas, proteínas, minerais, gorduras essenciais e fibra). Também é de reforçar que em todos os dias do plano, a hidratação se reveste de especial importância, pois, se nos dias de jejum ajuda não só a hidratar mas também a mascarar a sensação de fome, nos restantes dias auxilia na reposição do funcionamento ótimo do organismo.
Fontes: Antonio Herbert Lancha Jr., doutor em nutrição; Maria Edna de Melo, presidente do Departamento de Obesidade da SBEM (Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia); a nutricionista Patricia Davidson Haiat; Lara Natacci, nutricionista da SBAN (Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição) e Christian Cruz, nutricionista da clínica Equilibrium Consultoria.
Os pesquisadores acompanharam 74 pessoas com diabetes tipo 2 que foram divididos em dois grupos, recebendo duas dietas distintas – uma antidiabética, seguindo recomendações da Associação Europeia para o Estudo da Diabetes (EASD), e a outra vegetariana, consistindo em frutas, vegetais, nozes, sementes, grãos e legumes, com produtos animais limitados a uma porção diária de iogurte com baixo teor de gordura.
O chá pode ser consumido quente ou frio, nos intervalos das refeições. Evite ingerir a bebida durante as refeições, pois os taninos presentes nela irão atrapalhar a absorção de algumas substâncias, especialmente o ferro e aminoácidos. Não beba o chá preto durante noite porque a cafeína presente na bebida pode dificultar o sono. Quem tem insônia deve tomar a última xícara até às 17:00. Saiba mais sobre chá preto aqui.
×