Tenho 34 anos, sou vegetariano desde os 17. Naquela época os vegetarianos aderiam a um estilo de vida e não apenas a uma dieta. Sou professor de Ensino Médio e percebo que vários de meus alunos “entraram nessa onda”, mais por modismo do que por consciência. Não comer carne é um bom começo, mas não adianta ter dez bolsas, dezenas de sapatos e tênis (tudo de couro) e dizer que não come carne por pena dos animais. O vegetariano tem antes que aderir a um estilo de vida simples e ecologicamente responsável ou, então, tudo é moralismo barato.
Cientistas chilenos reuniram um grupo de 11 pessoas – para averiguar, caso haja possibilidade de perca de gordura localizada, neste experimento o foco era perder gordura das pernas. Durante 12 semanas executaram o exercício legpress com baixa carga, 3 vezes na semana e míseras 960 a 1200 repetições por série. Ao fim da pesquisa os cientistas chegaram no seguinte resultado: as 11 pessoas perderam 700 gramas de gordura corporal, porém nos músculos das pernas foram 30-60 gramas.
O chá branco pode ser muito eficaz quando se trata de queima de gordura. Seus níveis de cafeína e catequinas como o galato de epigalocatequina (EGCG) estão relacionados à queima de gordura. Juntos, esses compostos são capazes de estimular a degradação da gordura e impedir a formação de novas células adiposas. Um estudo também sugere que o chá branco pode ajudar a aumentar o metabolismo em 4% a 5%. Isso pode significar uma queima extra de 70 a 100 calorias por dia.
Os vegetarianos também adoecem menos do coração, porque seu níveis de colesterol são baixos e sua pressão fica melhor controlada. E ainda estão protegidos contra diabetes, que se tornou epidemia global. Os adeptos da dieta vegan — os vegetarianos extremos, que passam longe de qualquer produto de origem animal, incluindo carnes, ovos, leite e seus derivados — são os mais magros de todos, segundo Marcela Knibel, autora de "Nutrição contemporânea — Saúde com sabor" (Rubio, com Dora Cardoso). A dieta rica em vegetais eleva em 16% o efeito térmico dos alimentos por até três horas após a refeição.
A Dieta Vegetariana pode ajudar você a alcançar uma variedade de objetivos de saúde incluindo perda de peso, benefícios cardiovasculares, controle de diabetes e gerenciamento da diabetes. A ideia básica por trás dessa dieta é eliminar carnes e se adaptar ao estilo de vida vegetariano. Isso pode ser difícil para pessoas que estão acostumadas a comer carne regularmente, mas os benefícios podem realmente valer a pena.
É muito fácil preparar o chá verde, mas há alguns segredinhos importantes para você preservar os princípios ativos da erva. Vamos lá: coloque a água para ferver e assim que surgirem as primeiras bolhas de ar (antes de começar para valer o processo de ebulição), apague o fogo. Acrescente a erva (o ideal são 2 colheres de sopa para 1 litro de água, mas comece com apenas 1 colher, pelo menos até você se acostumar com o sabor do chá) e abafe por 2 ou 3 minutos. Depois é só coar e tomar.
"Tudo o que é bicho (carne, frango, peixe) e planta está liberado. Eu como bacon todos os dias, por exemplo. Pode comer queijo e ovos. Quando estou com muita fome, com vontade de comer pizza, por exemplo, eu como brócolis, queijo e bacon. Depois disso, duvido que alguém tenha vontade de comer mais alguma coisa. A gordura e a proteína saciam por muito mais tempo".
O chá de erva doce, tão apreciado por tantas pessoas devido ao seu excelente sabor, também é ótimo para ajudar a emagrecer porque possui ação direta sobre o processo de digestão dos alimentos. Ele age proporcionando uma melhor performance ao intestino, de forma que lhe seja possível não manter dentro de si aquilo que de alguma maneira seja ruim para ele. Isso ajuda a evitar a retenção de líquidos e o inchaço.
No entanto, ele tem ponderações. A primeira diz respeito ao tempo de análise: somente um mês. É que em outro trabalho conduzido em seu laboratório, cuja duração foi de oito meses, deu para constatar que a perda de peso veio acompanhada de ameaças à saúde. “Embora magros, os animais do jejum apresentavam mais gordura corporal em relação aos que fizeram a restrição calórica”, informa. Tal característica contribui, por exemplo, para maior resistência à ação da insulina, o que dificulta o aproveitamento do açúcar no sangue e pavimenta o caminho para o surgimento do diabetes tipo 2.
Kahleová acrescenta que os resultados são particularmente importantes para doentes de diabetes tipo 2 e síndrome metabólica: “Esta descoberta é importante para pessoas que estão a tentar perder peso, incluindo pessoas que sofrem de síndrome metabólica e diabetes tipo 2. Mas também é relevante para qualquer pessoa que leve a sério o seu controlo de peso e queira permanecer saudável.”
Com o jejum intermitente, as células do corpo tornam-se mais resistentes ao stress e mais capazes de suportar doenças. A reação do corpo ao jejum é semelhante à sua reação ao desporto – através de “treino” frequente, torna-se mais resistente a doenças. A autofagia também é estimulada pela remoção de proteínas disfuncionais da célula. (Ligação 1, Ligação 2)
Pesquisadores da Universidade de Oxford seguiram 35.000 indivíduos com idades entre 20 a 89 por um período de cinco anos e a conclusão foi que veganos são 30% mais propensos a fraturar um osso do que vegetarianos e onívoros. Um estudo posterior feito na Austrália concluiu que vegetarianos tinham ossos 5% menos densos do que os não vegetarianos. Isto pode ser atribuído a um consumo menor de cálcio devido às limitações da dieta. O assunto é sério, osso não dói e a osteopenia/osteoporose pode se desenvolver de forma silenciosa.
La información que le ofrece Consultas de Salud está destinada únicamente con el objetivo de informar y educar. No pretende ser un sustituto de la asesoría médica proporcionada por su médico u otro profesional de la medicina. Si usted tiene o sospecha que tiene un problema médico, contacte inmediatamente a su médico o profesional de la salud. Sólo su médico puede proporcionar un diagnóstico relevante, recetarle medicamentos y / o ponerlo en las terapias adecuadas.

Uma última consciente de observação para a dieta vegetariana plano de perda de peso é o consumo de soja. A soja é um bem comum e, por vezes, popular fonte de proteínas para vegetarianos, especialmente no delicioso Asiática. Mas muito de uma coisa boa pode causar problemas, e o excesso de consumo de soja tem sido ligado a distúrbios da tireóide e retardar a perda de peso. No entanto, isso não significa que você deve totalmente cortá-lo de sua dieta, porque ele fornece a proteína que você precisa. Em vez de levá-lo com moderação.


Os pesquisadores acompanharam 74 pessoas com diabetes tipo 2. Os participantes foram divididos em dois grupos que receberam diferentes dietas, sendo elas uma típica dieta antidiabética, seguindo recomendações da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes (EASD), e uma dieta vegetariana. A segunda opção consistia em frutas, vegetais, nozes, sementes, grãos e legumes, com produtos animais limitados a uma porção diária de iogurte com baixo teor de gordura.
Grande parte dos experts em nutrição se sente desconfortável com o costume de tachar um alimento de mocinho ou vilão, como se só um ingrediente fosse capaz de alavancar ou detonar a saúde. Mas, hoje, a discussão vai além. Se o papo esbarrava em questões como “devo comer isso?”, agora a dúvida é: “devo comer?”. Pois é, jejuar não só entrou no rol de possíveis estratégias para emagrecer como tem sido a escolha de um monte de gente.
3. Faça um exercício que lhe dê prazer - você vai lá, faz sua parte, sua na academia, mas odeia cada minuto que passou. Primeiro que não tem como essa tortura virar rotina na sua vida por muito tempo. Segundo que a atividade física nessa má vontade traz tanto estresse, que solta cortisol no seu organismo. E cortisol é inimigo número um da queima de gordura localizada. “Escolha uma atividade física que proporcione prazer além do simples fato de se movimentar. Cuidar dos aspectos emocional e espiritual é tão importante quanto cuidar da alimentação”, garante a nutricionista Jacqueline Moniz Anversa. Você já tentou de tudo e acha que realmente nasceu para o sofá? Continue buscando algo que traga satisfação. Nem que ela chegue só na hora que acabar o treino na forma de endorfina. Já tentou aulas na piscina?

Nesse estudo mais prolongado, ainda se observou que as cobaias submetidas ao jejum tinham concentrações mais altas de radicais livres – em excesso, essas moléculas instáveis danificam as células do corpo. “Portanto, levando em conta nossas pesquisas, o jejum parece gerar benefícios em curto prazo. Mas, lá na frente, poderia ser prejudicial”, interpreta Chausse.
La información que le ofrece Consultas de Salud está destinada únicamente con el objetivo de informar y educar. No pretende ser un sustituto de la asesoría médica proporcionada por su médico u otro profesional de la medicina. Si usted tiene o sospecha que tiene un problema médico, contacte inmediatamente a su médico o profesional de la salud. Sólo su médico puede proporcionar un diagnóstico relevante, recetarle medicamentos y / o ponerlo en las terapias adecuadas.
Ser vegetariano é abster-se do consumo de todo os alimentos de origem animal, o que inclui os ovos, laticínios e mel. Àqueles que consomem os derivados de ovos e laticínios dá-se o nome de protovegetarianos, ou seja, aqueles que estão a caminho do vegetarianismo, mas ainda não chegaram lá. "Já quem se abstém do consumo de outros produtos animais para além da alimentação, como o couro, lã, seda ou produtos que tenham sido testados em animais, dá-se o nome de vegano", explica Dr. George.
Recentemente, ele assinou uma revisão de estudos sobre o método. “Temos pelo menos seis trabalhos na literatura apontando que o jejum intermitente previne ou reverte aspectos como gordura abdominal, pressão alta e resistência à insulina”, cita Manfredi. Entre as teorias por trás disso está a de que a prática melhora a forma com que o corpo usa as gorduras para gerar energia e propicia um alívio nos processos inflamatórios.
O exercício, em um jejum, pode ser complicado, mas há alguns benefícios poderosos a serem obtidos combinando os dois – especialmente quando você pode obter um treino pesado no final de seu período de “não comer”. Alguns estudos relataram que, após três semanas de jejum normal pela noite, ciclistas de resistência observaram uma recuperação mais rápida pós-treino – sem diminuição no desempenho. Mesmo que este único estudo não seja inteiramente conclusivo, o poder de cura do jejum e as melhorias ao seu sono e hábitos alimentares, definitivamente, ajudam o corpo a se recuperar de um treino, por mais intenso que seja.
Os vegetarianos também adoecem menos do coração, porque seu níveis de colesterol são baixos e sua pressão fica melhor controlada. E ainda estão protegidos contra diabetes, que se tornou epidemia global. Os adeptos da dieta vegan — os vegetarianos extremos, que passam longe de qualquer produto de origem animal, incluindo carnes, ovos, leite e seus derivados — são os mais magros de todos, segundo Marcela Knibel, autora de "Nutrição contemporânea — Saúde com sabor" (Rubio, com Dora Cardoso). A dieta rica em vegetais eleva em 16% o efeito térmico dos alimentos por até três horas após a refeição.
Embora muitas pessoas bebam chá apenas por sua qualidade calmante e sabor, cada xícara também pode ajudar com o emagrecimento. Substituir bebidas de alto teor calórico, como suco ou refrigerante, por chá pode ajudar a reduzir a ingestão total de calorias e pode levar à perda de peso. Além disso, muitos tipos de chá são especialmente ricos em compostos benéficos para todo o corpo.
Aniversário Passatempo Verão Treino Livro vips Dinheiro Familia Crianças Myprotein Receita Boonzi Micabeauty Cosmétics Tendências Desporto Festa Moda Fit Cozinha Fitness Exercicios Ginásio Saúde Kenzo DIY Natal Pele proteina Solidariedade Férias Detox eucerin Receitas Workshop Maquilhagem Alimentação Eventos Felicidade Ajuda Video Dicas Dia dos Namorados Roupa Micabeauty Culinária Mineral casa Natural Mia diversao Beleza Vip Saudável Rubim Emagrecer Quadrelli by Monica Sofia Amor Filhos Cabelo Poupar
Outra teoria é de que a magreza de uma pessoa tenha relação com o tipo de gordura que se acumula no intestino. Existem dois tipos de gordura: a branca e a marrom. A branca, geralmente, provém de alimentos de origem animal e em excesso ajudam a criar os pneuzinhos. Para reduzi-la naturalmente é preciso utilizar técnicas para eliminar gordura abdominal.
Um grupo de investigadores do Instituto de Medicina Clínica e Experimental, em Praga (República Checa), analisou 74 pessoas com diabetes tipo 2 que participaram numa dieta vegetariana ou numa dieta típica “antidiabética”, que seguiu as recomendações oficiais da Associação Europeia para o Estudo de Diabetes. Todos os participantes estavam restritos a uma dieta de 500 calorias por dia.

Outras substâncias (enzimas e mucilagens) presentes na planta agem em áreas diferentes. No estômago, facilitam a digestão; no intestino, impedem parte da absorção do carboidrato e da gordura dos alimentos; e nos rins, anulam temporariamente a ação do hormônio antidiurético, quando o organismo aproveita para se livrar do excesso de líquidos. Ainda não acabou: “O hibisco tem vitamina C, que diminui a pressão na parede dos vasos sanguíneos, melhorando a circulação, e cálcio, mineral importantíssimo para os ossos e um facilitador na perda de peso, segundo estudos recentes”, afirma a bióloga Lúcia Helena Guerra Arantes, de Belo Horizonte.
Os voluntários ficaram um ano nessa toada. Depois disso, veio o primeiro resultado: quem caiu em um desses dois grupos (do jejum ou da restrição) emagreceu mais em comparação àquele pessoal que não recebeu nenhuma instrução dietética. Até aí, nada de novo. A grande descoberta do projeto veio, claro, ao comparar as duas intervenções. É que, no fim das contas, ambas levaram praticamente ao mesmo desfecho. Enquanto jejuar enxugou o peso em 6%, maneirar nas garfadas diariamente reduziu em 5,3%.

Sou vegetaria a dois anos e não me vejo mais comendo nenhum tipo de carne. Sempre gostei muito de qualquer tipo de animal, então viajei para Bonito e lá decidir não comer mais carne. É uma grande hipocrisia pessoas amarem os animais, lutarem por sua causa e os comerem. As pessoas amam seus animais de estimação então porque não amar a todos… vegetarianismo é uma grande prova de amor!! Parabéns a todos os vegetarianos.


Pesquisadores da Universidade de Oxford seguiram 35.000 indivíduos com idades entre 20 a 89 por um período de cinco anos e a conclusão foi que veganos são 30% mais propensos a fraturar um osso do que vegetarianos e onívoros. Um estudo posterior feito na Austrália concluiu que vegetarianos tinham ossos 5% menos densos do que os não vegetarianos. Isto pode ser atribuído a um consumo menor de cálcio devido às limitações da dieta. O assunto é sério, osso não dói e a osteopenia/osteoporose pode se desenvolver de forma silenciosa.
O melhor de tudo é que a dieta vegetariana é livre de riscos. Não existem riscos para a saúde conhecido ligados ao vegetarianismo, e na verdade, muitos dos que são percebem uma melhora de sua saúde, principalmente na sua saúde cardiovascular e diabética. A Dieta Vegetariana busca ser uma mudança de estilo de vida, ao invés de uma solução temporária para perder peso.
Un estudio realizado en la Universidad de Chicago encontró que el té verde causaba que las ratas perdieran hasta el 21 por ciento de su peso corporal. Las ratas inyectadas con un extracto de té verde perdieron sus apetitos y consumieron hasta un 60 por ciento menos de alimento después de siete días de inyecciones diarias. Esto puede deberse a los efectos reguladores del azúcar en la sangre del té verde.
El té verde contiene poderosos antioxidantes llamados polifenoles catequina que son responsables de muchos de los beneficios para la salud del té verde. Los polifenoles de catequina, en particular el galato de epigalocatequina (EGCG) y la cafeína que ocurren naturalmente en el té verde, trabajan sinérgicamente para estimular la termogénesis y aumentar y prolongar la estimulación simpática de la termogénesis. Termogénesis es el proceso del cuerpo que quema el combustible sin hacer la energía química y las calorías se lanzan como calor.

"Os resultados que temos visto neste estudo são semelhantes aos observados em outros estudos sobre o jejum intermitente - explica Kristina Varady, a autora do estudo - mas um dos benefícios da dieta 16:8 poderia ser uma maior facilidade de execução em médio-longo prazo. Observamos que menos participantes deixaram este estudo em comparação a outros em outras dietas".


Se você fica um pouco assustado com a ideia de comer apenas de manhã e à noite, existe uma outra versão dessa dieta que pode te ajudar a acostumar seu organismo. Ao invés de ingerir as 500/600 calorias em apenas duas refeições, você pode fazer vários pequenos pratos ao longo do dia, enganando seu organismo. A perda de peso pode ser menor, porém, com menos sofrimento.

Quando você pensa em vegetariano, provavelmente a primeira coisa que pensa é em salada. A maioria das pessoas imagina a dieta vegetariana como sendo similar a dieta de alimentos crus. Isso não poderia ser mais distante da verdade. De fato, os vegetarianos aproveitam uma grande variedade de alimentos e pratos, a dieta é bem menos restritiva que outras dietas populares.


Boa tarde, comecei o jejum em 13.09.2017 (ontem) 16/8, mais só consegui ficar 14 h e 1/2 , acabei tomando um suco de acerola sem açúcar e comi um ovo cozido, as 13.40 h, comi saladas, legumes, alface e tomate, tem algum problema referente ao horário e posso intercalar frutas antes do jantar as 20 horas? Tenho 1.60 e 70 k, idade 66, não faço exercícios físicos.
während der Essensperiode bestimmst du allein wann du was zu dir nimmst. Es ist also kein Problem um 12 Uhr zu frühstücken und dann um 18 oder 19 Uhr Abend zu essen. Falls du abnehmen möchtest, ist es jedoch wichtig, dass du im Kaloriendefizit bleibst. Das heißt: die Mahlzeit, die du in der Fastenphase ausfallen lassen hast, solltest du nicht später in der Essensphase nachholen. Ich hoffe das hilft dir weiter.
Uma pesquisa publicada no American Journal of Clinical Nutrition, conceituada revista da Sociedade Americana de Nutrição, acompanhou dois grupos de gordinhos. Os dois seguiram um cardápio de baixa caloria. Mas só o primeiro bebeu de seis a oito xícaras de chá verde por dia. No final do estudo, esses pacientes queimaram 4% a mais de gordura que o grupo que passou longe do chá.
×