Até um certo ponto, todas estas dietas mostram alguns resultados pois todas elas obedecem á segunda lei. Ao reduzir a quantidade de calorias que ingerimos, estamos a reduzir gorduras. Infelizmente, perder peso não é assim tão simples, como todos aqueles que já tentaram bem o sabem. Além disso, contar as colorias que se ingerem está tão fora de moda como o conceito de que o sol anda á volta da terra. O problema é que o corpo não coopera. Se você tentar perder peso com: fazer mais exercício e comer menos, o seu corpo irá tentar compensar ao metabolizar mais eficazmente. O corpo tem um peso fixo, ao qual os peritos em obesidade chamam "ponto de retorno", que é um peso ao qual o corpo está sempre a tentar regressar.
Os pesquisadores analisaram 15 estudos feitos sobre as dietas vegetarianas ou veganas, e descobriram que estas levaram a uma perda de peso de mais de 3 quilos, independentemente da contagem de calorias ou de exercícios físicos. Entre os estudos, 11 diziam respeito a uma dieta vegana, exclusivamente, ao passo que os restantes se basearam em dietas vegetarianas.
Reservamos energia sob a forma de gordura para um eventual período de escassez alimentar. Assim, qual seria o sentido de armazenar energia como gordura e num primeiro momento de escassez começarmos a consumir o músculo?! Quando o organismo entra em modo de jejum são ativados mecanismos hormonais que levam à mobilização da gordura acumulada como fonte de energia (p.ex. descida da insulina) e simultaneamente à preservação do músculo (p.ex. aumento da hormona de crescimento GH) .8,9,10,11,12,13
Ingestão em horários determinados. Os carboidratos complexos (arroz integral, feijão, aveia) podem ser consumidos antes das 18h (em geral, comer tarde da noite não é aconselhável). Os carboidratos simples, no entanto, devem ser consumidos apenas depois da prática de exercícios físicos. Quando o corpo ainda está se recuperando da sessão, os carboidratos simples (o bom e velho açúcar) são armazenados como glicogênio e não como gordura. Caso contrário, eles devem ser evitados.
– O corpo funciona utilizando substratos energéticos que dependem da alimentação. Se comemos carboidratos, o utilizamos como fonte de energia. O mesmo acontece quando ingerimos gordura. Quando fazemos exercícios físicos intensos, o corpo precisa de mais carboidrato. Mas sempre que estamos em estado de baixa necessidade energética, que é a maior parte do tempo, estamos usando uma quantidade considerável de gordura – afirma.
A ingestão regular de alimentos (de índice glicémico baixo) permite manter os níveis de insulina e de glicose estáveis e, desta forma, evitar as quebras de energia e a perda de massa muscular (sempre que há uma descida dos níveis de açúcar no sangue, o tecido muscular é sacrificado para ser convertido em glicose), que resulta na diminuição da taxa metabólica de repouso (menos gordura é utilizada como fonte de energia).

É totalmente possível comer de 60 a 100 gramas de proteínas por dia em uma dieta vegetariana rica em proteínas. Se você escolher esse tipo de regime alimentar, você pode esperar que irá se sentir mais cheio de energia, mais focado e ter menos apetite ao mesmo tempo. Uma dieta livre de carne também diminui os riscos de doenças do coração, diabetes, obesidade e certos tipos de câncer.

Mas será que parte dessas pessoas está adotando a dieta vegetariana achando que dessa forma vai emagrecer mais rápido? Se este é o motivo, ele tem fundamento. Segundo Dr. George Guimarães, nutricionista especializado em dietas vegetarianas, quando comparada a uma dieta onívora, a vegetariana é rica em fibras e água e é mais pobre em gordura, em especial a saturada.
Nesse estudo mais prolongado, ainda se observou que as cobaias submetidas ao jejum tinham concentrações mais altas de radicais livres – em excesso, essas moléculas instáveis danificam as células do corpo. “Portanto, levando em conta nossas pesquisas, o jejum parece gerar benefícios em curto prazo. Mas, lá na frente, poderia ser prejudicial”, interpreta Chausse.
O chá pode ser consumido quente ou frio, nos intervalos das refeições. Evite ingerir a bebida durante as refeições, pois os taninos presentes nela irão atrapalhar a absorção de algumas substâncias, especialmente o ferro e aminoácidos. Não beba o chá preto durante noite porque a cafeína presente na bebida pode dificultar o sono. Quem tem insônia deve tomar a última xícara até às 17:00. Saiba mais sobre chá preto aqui.
×