Eu já publiquei aqui no site uma matéria supercompleta sobre o jejum intermitente, um novo estilo de alimentação que vem ganhando adeptos em todo o mundo! Falamos sobre as variações que há nesse estilo de alimentação que, em linhas gerais, prega a prática de períodos de jejum (em alguns casos a cada cinco dias, em outros, por longos períodos diários) para termos um corpo mais saudável e nos mantermos no peso ideal.

Faça exercícios aeróbicos e treinamento com peso. A atividade aeróbica queima calorias mais rápido que levantamento de peso, mas se quiser queimar o máximo de gordura, precisa fazer os dois. Se quiser um corpo tonificado, levante menos peso e faça mais repetições na hora da musculação. Se o objetivo for ganhar massa muscular e ficar forte, levante mais peso e faça menos repetições. Qualquer opção é válida!

"Tem havido estudos que sugerem que a ingestão regular de pequenas refeições é vantajosa para a saúde, desde que não acabemos por comer mais", diz. "Infelizmente, é isso que acontece no mundo real", faz notar, todavia. O autor afirma que "petiscar serve apenas para abrir o apetite" e refere um estudo segundo o qual, atualmente, se ingere diariamente mais 180 calorias em lanches e 120 em refeições normais do que há 30 anos.


Seguir uma dieta vegetariana reduz até duas vezes mais o peso corporal em relação às dietas de baixa calorias tradicionais, de acordo com um novo estudo, publicado pela revista científica Journal of the American College of Nutrition, no início de junho. Embora envolva poucos participantes, a pesquisa mostrou ainda que a dieta vegetariana também acelera mais o metabolismo e reduz a gordura corporal, em comparação às demais dietas.
Estudos que comparam o jejum intermitente e a restrição calórica contínua não mostram diferença na perda de peso se as calorias ingeridas forem equivalentes. Porém, o jejum intermitente pode ser uma maneira conveniente de restringir calorias inconscientemente, pois diminuindo a janela de alimentação, a pessoa não percebe que está ingerindo menos calorias, e isso pode ajudar a perder peso e gordura.
Proteína de nozes, manteigas, de soja e de baixa gordura produtos lácteos para uma dieta vegetariana plano de perda de peso são ainda mais inteiro do que o que você recebe de carne, além de que eles são mais baixos em gorduras saturadas. A adição de cálcio em sua dieta vegetariana plano de perda de peso também pode ajudar você a perder peso mais rápido, como em seu recente comprovada de queima de gordura qualidades.
“O vegetarianismo já provou ser mais efetivo para a perda de peso. Agora mostramos que a dieta vegetariana pode ser muito mais efeito na redução de gordura muscular, promovendo uma melhora no metabolismo”, disse Hana Kahleová, diretora de pesquisa da organização sem fins lucrativos Physicians Committee for Responsible Medicine, nos Estados Unidos, ao site especializado ‘Medical News Today’.
"Os resultados que temos visto neste estudo são semelhantes aos observados em outros estudos sobre o jejum intermitente - explica Kristina Varady, a autora do estudo - mas um dos benefícios da dieta 16:8 poderia ser uma maior facilidade de execução em médio-longo prazo. Observamos que menos participantes deixaram este estudo em comparação a outros em outras dietas".
4. Coma à noite, sim! - outro mito que precisa ser derrubado agora - e já vai tarde. Ficar sem comer à noite ou não comer carboidrato no jantar não vão trazer bem algum para sua perda de gordura, especialmente se você se exercita pela manhã. Só o café não vai dar conta de te alimentar o suficiente e, de novo, o organismo vai lá na massa magra pra procurar energia. “Não há diferença se você consumir carboidrato de dia ou à noite, desde que esteja em quantidade adequada. À noite, prefira alimentos menos calóricos, com baixo teor de gorduras e de fácil digestão”, aconselha Paula Castilho.

Em alguns casos, o especialista aconselha corrigir a alimentação antes de fazer o jejum intermitente. “Há pessoas que se alimentam de maneira incorreta há muito tempo e, quando começam a jejuar, se sentem para baixo, com fome e acabam condenando o método. Mas a culpa, nesses casos, é da alimentação. Antes do jejum ou ao mesmo tempo, é preciso adotar hábitos saudáveis.”


É rico em fibras, nutriente que ajuda no funcionamento do intestino e reduz a absorção de gordura e carboidratos. Isso acontece porque as fibras são digeridas mais lentamente, inibindo a produção de insulina. E quanto maior for o pico de insulina, mais facilmente a gordura será absorvida e acumulada, as fibras também aumentam a sensação de saciedade, fazendo a pessoa comer menos.
O jejum ativa o processo de autofagia, em que o organismo decompõe e recicla células velhas e cansadas. Conduz desta forma a uma "reprogramação metabólica profunda" quando se prolonga vários dias e faz o corpo reduzir a produção da hormona igF-1, cujos "níveis elevados, numa fase mais avançada da vida, parecem acelerar o envelhecimento e provocar cancro", realça ainda o especialista.
Sou adepta ao JI há alguns meses e te aconselharia: almoçar às 12 hrs (se quiser potencializar seu emagrecimento coma muita salada, legumes e carne, frango ou peixe – esses alimentos te dão a sensação que está de estômago cheio e isso vai reduzir sua fome, EVITE carboidratos, mas se não conseguir eliminar eles, coma menos), durante a tarde você pode comer frutas (às vezes eu como até bolacha, mas somente a integral) e um pouco antes de acabar seu horário , que seria às 18hrs, você pode comer por exemplo novamente salada e um filé de frango.
A felicidade de subir na balança e descobrir que você perdeu peso não tem preço. Longe da gente querer tirar essa sua alegria, mas é preciso encarar a realidade: não adianta nada baixar o peso se você estiver queimando o que não deve. Perder massa magra - músculos, ossos e água -  e não gordura, além de não deixar você feliz em frente ao espelho, vai atrapalhar o seu emagrecimento lá na frente. Afinal, quanto mais músculo você tiver, mais sucesso na perda de peso você continuará tendo. Siga as top 5 dicas para emagrecer pra queimar o excesso!
Existem vários protocolos de jejum: curtos (<24h) , prolongados (>24h) e até mais extensos (>3 dias). Pretendendo ser uma arma terapêutica simples, o período de jejum deve ser adaptado à situação clínica e também enquadra-se no quotidiano e preferências individuais. Ao contrário de seguir recomendações alimentares complicadas, fazer jejum é simples, económico, flexível e conveniente. Uma dica muito simples é jantar mais cedo, e sem qualquer esforço garantir pelo menos as 12h de jejum noturno.

Como se depreende, consiste em não ingerir nenhuma espécie de alimento. Contudo, bebe-se água à vontade, utilizam-se vitaminas e sais minerais. Esta dieta é cada vez menos utilizada, pois requer hospitalização e contínua vigilância médica. Além disso, os exíguos resultados k longo prazo não justificam o enorme sacrifício e desgaste do doente, especialmente porque quando se suspende o jejum absoluto é costume ganhar peso com rapidez.
Os estudos que conhecemos com o IF em humanos são curtos em duração, curtos demais para percebermos o efeito que este padrão alimentar tem realmente na composição corporal e saúde quando adoptado para a vida, ou por um longo período de tempo. Pensando de uma forma evolucionista, o jejum será um sinal externo de ausência de alimento e de um ambiente hostil. Nestas condições o corpo é obrigado a mobilizar reservas, mas ao mesmo tempo garantir que no futuro conseguimos lidar melhor com um factor de stress semelhante – criar mais reservas. Estas adaptações são mediadas hormonalmente por um aumento do cortisol, redução das hormonais sexuais (estradiol e testosterona), leptina, e T3. Pela minha experiência, a tendência a médio-longo prazo da prática de IF é um aumento da acumulação de gordura na faixa abdominal, frontal e flancos essencialmente, e perda de massa muscular generalizada. Um padrão que podemos designar por “falso magro”, com um peso normal mas com uma elevada relação entre a gordura abdominal e membros. Nas mulheres é também comum ocorrerem distúrbios do ciclo menstrual decorrentes da diminuição da leptina, estradiol e progesterona. Consequências reversíveis com a mudança de práticas alimentares.
O corpo geralmente entra em modo de fome ou inanição quando a ingestão começa a cair abaixo de 1.200 calorias por dia. Se estiver interessado em usar ciclos calóricos, saiba quantas calorias seu corpo precisa antes de começar a definir os números. Você pode chegar a consumir apenas 1.200 calorias algumas vezes, mas não faça isso em dias seguidos.[4]
Outro benefício proporcionado pelo jejum é a autofagia - a reciclagem das células mortas -, tema que garantiu o prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia ao cientista Yoshinori Ohsumi em 2016. O pesquisador japonês estudou o processo de reciclagem das células quando a pessoa está em jejum. “Pode-se dizer que é uma espécie de ‘limpeza’ para se certificar de que o corpo está funcionando bem”, afirma Polesso.
Ingestão em horários determinados. Os carboidratos complexos (arroz integral, feijão, aveia) podem ser consumidos antes das 18h (em geral, comer tarde da noite não é aconselhável). Os carboidratos simples, no entanto, devem ser consumidos apenas depois da prática de exercícios físicos. Quando o corpo ainda está se recuperando da sessão, os carboidratos simples (o bom e velho açúcar) são armazenados como glicogênio e não como gordura. Caso contrário, eles devem ser evitados.
Depois de girar-se virtualmente ao redor de um círculo de gordura corporal perdida, fazendo perguntas de fontes que realmente não conhecem a verdade, ou pior, apenas se preocupe em dizer o que for necessário para separar você do seu talão de cheques, cartão de crédito, ou carteira – a simplicidade e dualidade de longo prazo de como perder gordura corporal permanece inalterada. Facilidade versus complexidade … longo caminho ao redor versus solução de atalho.
Existem diversos protocolos de jejum intermitente que pedem mais ou menos horas de jejum. Antes de conhece-los, no entanto, é importante ressaltar que a escolha da melhor forma de seguir um jejum intermitente deve ser conversada com um especialista (seja endocrinologista, nutrólogo ou nutricionista), que fará exames específicos e saberá dizer o melhor protocolo para sua saúde.
Tendo em conta os benefícios para a saúde, a dieta é considerada adequada até para idosos. Diz-se que a eficácia está demonstrada em casos de obesidade e que a permissão de "alimentos que dão prazer" é um trunfo. Depois de se alcançar o peso ideal, deve jejuar-se só uma vez por semana. Quem começa já com um peso adequado deve comer alimentos mais calóricos nos dias sem jejum ou jejuar a cada oito ou dez dias.

Essa alternativa, 100% natural, são os chás seca barriga. Porém, é importante destacar, que não são todos os chás que podem promover o efeito que você deseja, ou seja, eliminar as gorduras indesejadas. Apenas alguns deles são realmente eficazes e podem ser denominados de chá seca barriga. Você poderá conferir as receitas exclusivas desses chás ao longo desse post:


Cientistas chilenos reuniram um grupo de 11 pessoas – para averiguar, caso haja possibilidade de perca de gordura localizada, neste experimento o foco era perder gordura das pernas. Durante 12 semanas executaram o exercício legpress com baixa carga, 3 vezes na semana e míseras 960 a 1200 repetições por série. Ao fim da pesquisa os cientistas chegaram no seguinte resultado: as 11 pessoas perderam 700 gramas de gordura corporal, porém nos músculos das pernas foram 30-60 gramas.
Além de potenciar os sabores e aromas das preparações culinárias, o gengibre possuí ainda um leque de propriedades medicinais e farmacológicas, que o tornam um ingrediente de excelência. Estas propriedades resultam dos seus constituintes, de entre os quais se destacam os compostos polifenólicos e as catequinas, proporcionando ao gengibre uma atividade antioxidante, anti-inflamatória, anticancerígena, e promovendo uma melhor digestão através da estimulação do efeito dos diversos sucos do trato gastrointestinal.
×